Região

Eduardo Boigues: 'Itaquá precisa e faremos um choque de gestão’

06/09/2016 08:00


Conhecido como delegado de polícia em Itaquaquecetuba, Eduardo Boigues (PT do B) se candidata pela primeira vez a prefeito da cidade. Em entrevista ao DS, o candidato revela suas atividades no município e as principais propostas de seu plano de governo. Para ele, setores como transporte, educação, saúde e segurança são prioridades. O candidato frisou que sua experiência na área da segurança fará com que o setor seja prioridade. Junto a ele está o vice Rogério Tarento (PTC). Natural de Presidente Prudente, Boigues estava há dez anos a frente da delegacia de Itaquá e há cinco reside no município. O candidato conta que implantou o setor de homicídios na delegacia que gerou a redução de 80% desses crimes na cidade, além de ter estado à frente da reinstalação da Divisão de Investigações sobre Entorpecentes (Dise). Segundo ele, a candidatura foi motivada pelo atual cenário político da cidade. "Todos os brasileiros estão cansados dos políticos. Porque são pessoas que não representam nossos anseios. Nós precisamos de saúde pública, estrutura e segurança. De um posto de saúde que tenha médicos, e nada disso eu encontro. O que eu encontro são escândalos, corrupções e eu estou cansado de só reclamar e cruzar meus braços. Eu resolvi fazer a minha parte tomando conta do que é nosso". Desde a pré-campanha, Boigues afirma já ter caminhado por 200 bairros para conversar com a população e divulgar suas propostas. O candidato conta ainda que tem realizado uma campanha pequena e de baixo custo. "Não temos um centavo. Não temos dinheiro, nenhum financiador. É uma campanha pequena, justa e honesta. Rejeitamos muitos empresários, inclusive os que têm contratos com a Prefeitura porque se um dia eu tiver que mexer nesses contratos e enxugá-los, nós vamos fazer, porque não devemos nada a ninguém", explicou. Para auxiliar na campanha, o candidato tem estado presente nas redes sociais. "É essencial para quem não tem dinheiro. A rede social é o único instrumento gratuito para que a gente chegue nas casas das pessoas". O delegado conta que nas caminhadas as áreas que mais recebem reclamações da população são saúde e segurança, seguidos por educação e transporte. Devido a isso, essas são setores que foram incluídos em seu plano de governo. "No transporte público haverá quebra no monopólio. Não será mais realizado por uma única empresa. Haverá fiscalização para que a empresa cumpra ao que ela é obrigada, a sede tem que estar em Itaquá para que a receita fique no município. Vamos cobrar também a figura do cobrador", disse. Na segurança, Boigues quer implantar o vídeomonitoramento na cidade e o sistema detecta nos radares. “Quando o veículo passa ele faz a leitura da placa para saber se é produto de roubo ou furto", contou. Ele ainda afirma que irá cortar cargos comissionados e gerar concursos públicos para a contratação de vigilantes. O candidato também afirmou que quer implantar a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Boigues frisou que quer reabrir o Pronto-Socorro de Itaquá, com atendimento correto e ampliar o atendimento dos postos de saúde de 8 para 12 horas. Quer melhorar a merenda escolar e os uniformes e capacitar os professores. Para ele, a implementação do plano de carreira segmentado para os funcionários públicos de casa setor também é importante. "Ser promovido por tempo de serviço não é correto. Precisamos de um plano de carreira para fazer com que o servidor tenha motivação para trabalhar". Caso seja eleito, Boigues afirma que seu secretariado será independente de partidos e que a escolha será conforme a qualidade técnica de cada trabalhador. Como mensagem aos eleitores Boigues afirma: "Itaquá precisa e faremos um choque de gestão. Nós trataremos a cidade de maneira digna. Temos o compromisso de fazer a cidade ter um prefeito que nunca teve".