Destaque

Médico é afastado após morte de bebê

21/09/2016 08:01


A Prefeitura de Suzano afastou um médico ginecologista que não compareceu à Santa Casa na segunda- feira e apura negligência. A gestante N. P.A., de 27 anos, ficou mais de uma hora esperando o médico para a realização do parto, que foi feito por enfermeiras. A Polícia Civil abriu um inquérito para a investigação. A gestante, junto com o marido L.C.O.M. , chegou na Santa Casa por volta das 14 horas de segunda. Ele a acompanhou até a sala de um médico que realiza acompanhamento de pré-natal, entretanto, o mesmo recusou dar atendimento se ele estivesse junto. O especialista guardou todos os instrumentos médicos e saiu do consultório, sem ao menos dizer uma palavra. O ocorrido chegou até a administração do local e a gestante foi atendida por enfermeiras. Por volta das 18 horas do mesmo dia, a mulher estava com muitas dores e havia entrado em trabalho de parto. L.C.O.M. contou na delegacia que foi informado que o médico não havia chegado e iam esperar por um tempo. Passado mais de uma hora, ele não chegou para realizar o nascimento do bebê P.H., e, por esse motivo, foi feito por uma enfermeira. Na ocasião, um médico pediatra neonatal entrou na sala e deu apoio a enfermeira. De acordo com L.C.O.M. , o bebê não chorou ao nascer e ficou internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) neonatal, mas, após uma hora e meia do nascimento, recebeu a notícia que o filho havia falecido. Os familiares foram informados que a causa da morte foi por conta de “anorexia neonatal”. De acordo com o delegado Fabricio Intelizano da Delegacia Central da cidade, o caso foi registrado como homicídio doloso e prevaricação. “Não havia nenhum médico de plantão no local, foi uma série de fatos”, disse. Em nota, a Prefeitura informou que quanto ao médico ginecologista que deveria estar na Santa Casa no plantão na segunda- feira e não compareceu ao seu posto, foi afastado. Um procedimento administrativo interno foi instaurado para apurar as responsabilidades. Até o final da tarde de ontem, a Santa Casa não tinha sido notificada pela Polícia Civil.