Cidades

Suzano intensifica blitz da ‘Lei Seca’

09/05/2015 08:01


Os motoristas que passaram pelas ruas Sete de Setembro e Doutor Prudente de Moraes (SP-66), ontem à noite, se deparam com a blitz da "Lei Seca". A ação foi realizada em conjunto com o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran), Polícia Militar (PM), Polícia Civil, Polícia Científica e da Secretaria de Trânsito e Mobilidade Urbana e contou com um efetivo de 50 policiais. Os dois pontos foram escolhidos estrategicamente devido ao grande fluxo de veículos que passam pelo local. A operação foi solicitada pela Secretaria Municipal de Trânsito. Além de ser educativa, a blitz também é preventiva. "Temos que lembrar a educação no trânsito não é só um problema de Suzano", ressaltou a coordenadora de Educação de Trânsito, Marisa Cidade. Esta é a segunda ação do Programa Direção Segura na cidade. No ano passado, a blitz foi realizada em abril. No total, 64 condutores foram submetidos ao teste do bafômetro. Desse montante, 14 deles foram autuados por embriaguez ao volante e multados em R$ 1.915,40. Eles também responderam a processo administrativo junto ao Detran para a suspensão do direito de dirigir por um ano. Dos que foram multados, três motoristas ainda respondem na Justiça por crime de trânsito. Isso porque apresentaram índice a partir de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido. Eles podem ser condenados de seis meses a três anos de reclusão, conforme prevê a Lei Seca. A coordenadora defende medidas educativas na cidade e ressalta que no município já são realizadas ações de conscientização e prevenção a acidentes. "As ações devem acontecer sempre e vem para reforçar nossas ações. No ano passado, o índice de acidentes com vítimas já havia diminuído em relação a 2013". LEI SECA A Lei Seca foi promulgada em 2008 e tem como objetivo reduzir os acidentes provocados por motoristas embriagados no País. Com a lei, a pena para quem for pego conduzindo um veículo automotor embriagado ficou mais dura. Os motoristas são submetidos a um teste de bafômetro ou em alguns casos de sangue. O motorista, no entanto pode se recusar a fazer o exame.