Cidades

Mais de 19,67 mil mulheres se tornam mães antes dos 18 anos em Suzano

10/05/2015 08:00


Mais de 19,67 mil adolescentes se tornaram mães em Suzano em um período de cinco anos. O número representa uma média percentual de 8% das mulheres grávidas com idade até 18 anos. Os dados foram computados por meio da Fundação Seade e são referentes aos anos de 2007 a 2012. Para chegar a este número, o DS consultou o percentual de adolescentes grávidas em cada ano e o número de pessoas nesta faixa etária. Entre os cinco anos não houve muitas mudanças do percentual de adolescentes que ficaram grávidas. Na comparação entre 2007 e 2012 houve, por exemplo, uma queda de 0,45%. Há cinco anos, Suzano tinha 45.085 mulheres nesta faixa etária, sendo que deste total 7,66% ficaram grávidas, o que resulta em 3.453 jovens. Em 2012, o número de adolescentes que engravidaram caiu para 7,21% em um total de 43.133, ou seja, 3,11 mil mulheres. Dentro deste período, o ano de 2008 teve o maior registro de adolescentes grávidas: 3.567; e o menor número foi computado em 2011, com 3.070 jovens que engravidaram.

REGIÃO Segundo o Seade, Poá é a cidade com menor percentual de mulheres com até 18 anos grávidas na região. O município registrou em 2012, um índice de 5,71%; seguido de Salesópolis, com 6,91% e Guararema, com 6,93%. O maior percentual registrado entre as cidades da região foi Santa Isabel, com 9,52% das adolescentes; seguida de Itaquaquecetuba, com 9,18 pontos percentuais e Biritiba Mirim, com 9,15%.

NO PAÍS Em todo o País, o percentual de adolescentes grávidas ultrapassa os 20%. Um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado em 2013, apontou que 7,3 milhões de adolescentes ficaram grávidas no País, sendo que destas dois milhões tem menos de 15 anos. O estudo apontava que se nada fosse feito neste período, até 2030, o número poderia chegar a três milhões. Segundo representante do Fundo de População das Nações Unidas, mais de 95% dos nascimentos de filhos de mães adolescentes, ocorrem em países em desenvolvimento. Desse total, 50% se concentram em sete países, sendo que o Brasil é um deles.