Cidades

Taxistas relatam queda nas viagens por conta de crise e Uber

13/01/2019 16:56


Os taxistas de Suzano relatam que as corridas têm diminuindo gradativamente na cidade. Um dos motivos seria a crise econômica que o País vem enfrentando nos últimos anos e o desemprego regional. O outro motivo seria em razão dos transportes de aplicativos, principalmente o Uber que se popularizou muito na região. 
 
Por conta do baixo movimento, alguns taxistas optam por trabalhar com os aplicativos para não perderem dinheiro. É o caso do taxista Edson Silva, de 38 anos. "Eu não conheço nenhum taxista que tenha largado o táxi para virar Uber, mas alguns fazem as duas coisas para não perder a viagem. Eu, por exemplo, quando levo alguém de táxi para algum bairro, ligo o aplicativo na hora da volta. Dessa forma, complemento a viagem", explica. 
 
Silva conta também que só faz viagens com o aplicativo nessas circunstâncias, já que ele não pode sair do ponto de táxi como motorista de aplicativo. "O dinheiro extra ajuda, mas ganho mais como o táxi. Além desse emprego, tenho mais um para manter as despesas em dia". 
 
O taxista João Cordeiro de Lima, de 48 anos, atua como motorista de táxi há 18 anos. Ele explica o movimento na cidade caiu, pelo menos, 40%. "Essa baixa não influencia tanto assim porque quem pega táxi, vai continuar usando o transporte. Mas teve uma diminuição sim, antes eu fazia 13 corridas, hoje a minha média é 6", explica. 
 
Sobre os transportes de aplicativos, Lima gostaria que fosse regularizado, assim como os táxis. "Dessa forma a nossa concorrência será justa. Eu pago mais de R$ 3 mil em seguro de carro, é desleal a concorrência com a gente, pois pagamos impostos e eles (Uber) não", conta. 
 
"A diminuição das corridas não foi só por conta do Uber, foi principalmente pele crise", opina também o taxista João José Filho, de 49 anos. "Taxista não larga a profissão para virar Uber, não compensa e não temos nenhuma garantia", explica. Filho é motorista há 20 anos e diz que, mesmo com os problemas, consegue manter seu orçamento em dia. 
 
"Para tentar recuperar os passageiros, damos descontos, principalmente para os clientes fixos e cerca de 90% dos táxis já aceitam cartão de débito". 

Dennis Maciel - de Suzano