2º Dia

Empresa chinesa demonstra interesse na produção de energia solar no Alto Tietê

Durante visita à indústria First PV Power, empresários do país oriental ficaram entusiasmados quanto ao mercado brasileiro

06/06/2019 14:45


A comitiva do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) participou de três agendas em indústrias do distrito de Hangzhou, na China, nesta quinta-feira (6) e discutiram propostas para investimentos nas cidades da região. Entre elas, a visita à First PV Power, empresa que produz EVA - material sintético de múltiplos usos -, resultou no interesse por parte dos empresários na implantação de usinas para geração de energia solar no Alto Tietê.

Segundo o presidente do Condemat e prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, os representantes da região conheceram de perto o processo de fabricação de placas solares e discutiram a viabilidade de investimentos na produção de energia solar no Alto Tietê. "O Brasil tem potencial de 12 horas por dia de produção de energia solar e os nossos municípios têm possibilidade de áreas para receber investimentos nesse segmento", destacou Ashiuchi.

Qinyong Tu, gerente da First PV Power, enfatizou os 45 anos de amizade da China com o Brasil e anunciou o interesse da empresa no mercado brasileiro e, consequentemente, na implantação de usinas para geração de energia solar.

"Esse é um mercado em ascensão no Brasil e a direção da First entende que o Alto Tietê, por possuir extensas áreas não ocupadas, tem capacidade para receber projetos”, disse a prefeita de Santa Isabel, Fábia Porto. “Formalizamos o convite para que a direção da empresa vá até a região para que possamos discutir parcerias de investimentos", complementou o vice-prefeito de Mogi das Cruzes, Juliano Abe.

A comitiva também conheceu outras duas indústrias de Hangzhou. Na Wanma Holdings Group, acompanharam a produção de cabos e equipamentos para abastecer carros elétricos. Já na última agenda, na Woojong - maior empresa chinesa de produção de LED - os membros do Condemat foram recebidos pelo vice-presidente Zhao Miao Quan e por Wang Jang Fei, sub-prefeito de Lin An, distrito industrial de Hangzhou. A Woojong possui três fábricas, que empregam três mil pessoas na China, e seus produtos estão no mundo todo, inclusive no Brasil, onde possui parcerias com várias empresas nacionais.

"Estivemos em indústrias que são referência na China e com importante participação no mercado global, discutindo possibilidades de parcerias e investimentos nas nossas cidades. A receptividade deles ao Alto Tietê tem sido muito positiva", avaliou o presidente do Condemat.

A viagem dos representantes do Alto Tietê na China é intermediada pela Câmara Geral de Empresários Chineses no Brasil e acompanhada por oficiais do governo chinês. Entre as iniciativas propostas para a região há acordos de cidades-irmãs com alguns municípios do Alto Tietê e escritório do Condemat para cooperação técnica.


da Região