Cidades

Assistência Social monitora cerca de 100 pessoas em situação de rua

Serviço de acolhimento ampliou capacidade em 35% durante noites frias

06/08/2019 19:05


A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Suzano tem monitorado cerca de cem pessoas em situação de rua, entre indivíduos fixos e em passagem pelo município, além de ter ampliado a capacidade de atendimento da casa de acolhimento em 35%. Os dados fazem parte do Plano Inverno, elaborado pela pasta antes da chegada da estação mais fria do ano.

O secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Murilo Inocencio, destaca a importância do cadastro de monitoramento em Suzano, como um instrumento de identificação de idas e vindas dessas pessoas, por meio de critérios técnicos para a criação de planos e mecanismos de trabalho na área de atuação do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

“A abordagem ocorre durante todo o dia, seja de manhã, tarde ou noite, por assistentes sociais geralmente à paisana para facilitar uma relação fraterna e de confiança. Vale frisar que não existe arcabouço legal para um atendimento compulsório, ou seja, não podemos obrigar ninguém a buscar auxílio ou ir à casa de acolhimento”, explicou Inocencio.

Durante o período de frio, a pasta também intensifica o trabalho alinhado em condições climáticas, por meio de plantões sistematizados. “O serviço de acolhimento alcançou a ampliação da capacidade de atendimento em 35% nos dias de frio intenso, adequando a estrutura de espaços comuns para abrigar a demanda”. Em Suzano, o acolhimento acontece em parceria com o Centro Social Bom Samaritano, com capacidade para 50 pessoas.  

Ainda em agosto, o chefe da pasta vai dar início a um pacote de ações voltadas à área de atuação, contemplando medidas inéditas e o aprimoramento do serviço já realizado. Entre as atividades, Inocencio pontua a homologação do chamado Benefício Eventual, em consonância com o Estado, que consiste em um aparato legal, estratégico e financeiro para o atendimento de demandas de menor potencial, como o recâmbio de pessoas em situação de rua, por exemplo.

“O foco será atrelado a toda e qualquer defesa do indivíduo em situação de vulnerabilidade, com a mesma excelência desempenhada junto a crianças, adolescentes, pessoas com deficiência, idosos ou mulheres vítimas de violência doméstica, sendo que nesta última pauta Suzano segue como referência regional no acolhimento”, concluiu.

Fundo Social

O Fundo Social de Solidariedade também realizou a entrega de 180 cobertores às casas de acolhimento da cidade, além da doação de 120 quilos de alimentos e mais de 500 peças de roupas variadas. Os donativos têm o objetivo de reforçar os itens dos equipamentos para atendimento das pessoas em situação de rua.


de Suzano