Segurança

Prefeitos se mobilizam para confirmar vinda do Deic na região

Ideia é mobilizar prefeitos e deputados estaduais da região para reforçar necessidade

08/08/2019 00:04


Uma união política envolvendo prefeitos e deputados estaduais do Alto Tietê deve ser mobilizada para reforçar necessidade de que a região receba o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). A afirmação foi feita pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). O DS trouxe, com exclusividade, notícia de que a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou que há a possibilidade de algum município da região ser contemplado com o departamento especializado. 
 
Os próximos passos deve ser o de reunir prefeitos integrantes do consórcio e deputados estaduais. A ideia é buscar mais informações sobre o estudo e, principalmente, dar o 'start' da coalizão para que a região seja, de fato, uma das escolhidas pelo Estado. 
 
O Condemat reiterou fatores dos quais põem a região como uma forte candidata. Um deles, de acordo com o consórcio, é de que o conjunto de cidades é o mais populoso da Região Metropolitana de São Paulo, depois da Capital, com cerca de três milhões de habitantes. Disse ainda que a região, como todo o país, sofre as consequências da forte pressão econômica, habitacional e social, o que acabam refletindo na segurança pública. 
 
Outro ponto destacado é o de que as principais rodovias, as quais ligam São Paulo e Rio de Janeiro, ficam no Alto Tietê. E que a região ainda possui acessos à Capital, como pelo Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas (SP-21), o litoral e, ainda, tem extensa malha rural. 
 
"Essa condições, muitos favoráveis aos empreendimentos, também chamam a atenção de bandidos para a prática de crimes ou rota de fuga, sem contar o fato do Alto Tietê abrigar o maior aeroporto internacional da América Latina, alvo recente de um crime destaque em toda a mídia", reforçou a nota.
 
Para se ter ideia, atualmente, o consórcio é composto pelas cidades de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano. 
 
Reforço nas investigações
 
Para Alexandre Dias, delegado titular da Delegacia Central de Suzano, a possibilidade da vinda do Deic à região vai poder ajudar nas investigações ainda em aberto e ajudar a demanda de outras delegacias especializadas. "A Polícia Civil da região desenvolve uma ampla investigação de crimes em geral, mas se houver o Deic, seria interessante pelo agrupamento de informações. Hoje, os casos de estelionato são a maior demanda da delegacia central", disse.
 
O delegado explicou ainda que a atuação do Deic, na Capital, por exemplo, é composta por crimes patrimoniais. "A atuação em São Paulo abrange carros, seja furto ou roubo, patrimônio, o qual consiste nas investigações de roubos e/ou furtos em condomínios, bancos, e etc, além de golpes diversos e, também, a membros de uma facção criminosa".

Marcus Pontes - de Suzano