Editorial

Acidentes na coleta de lixo

27/01/2020 23:59


Diariamente, os coletores, que recolhem os sacos de lixo nas portas e colocam nos caminhões, e varredores, acabam se machucando durante o trabalho.
Há riscos por conta da disposição errada dos resídios e, algumas vezes, por falta de equipamentos apropriados.
É o que o mostrou o DS, em reportagem recente, assinada pelo repórter Marcus Pontes.
Não há dúvida de que a profissão de coletor de lixo é uma das atividades mais arriscadas no Brasil, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT). 
A reportagem do DS mostrou que em Suzano, 16 profissionais precisaram ficar afastados em 2019 devido a algum acidente de trabalho, como queda, perfuração ou corte. 
Desses, a maioria foi por causa da destinação incorreta, tendo como principal fator perfurações com agulhas. 
As informações foram divulgadas pela Pioneira Saneamento e registradas na Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
Se levar em conta os dados do ano passado com os de 2018, o número de acidentes aumentou 60%. 
Isso porque passou de 10 para 16.
O que chama a atenção é que, em ambos registros, a destinação incorreta de lixo, seja doméstico ou hospitalar, é a causa principal de acidentes na cidade. 
A reportagem mostrou ainda que em 2019, a principal causa de acidentes a coletores de lixo na cidade foi o de descarte feito de forma incorreta. 
Foram 13 ocorrências, sendo sete por perfuração de agulhas e seis com vidro. No ano passado, três casos foram devido a queda ou torção dos colaboradores. Se somar todas as comunicações de acidente de trabalho (CAT), os coletores perderam 94 dias de serviço. 
É importante que seja realizada campanha para que a sociedade possa se conscientizar sobre a importância da destinação correta do lixo. Além de melhorar o meio ambiente pode garantir mais segurança aos garis.
O DS mostrou os riscos, após a divulgação de um relatório detalhado dos casos por parte da Coletora Pioneira. 
Os números mostram muitos acidentes e também um período considerável de trabalhadores afastados.
É importante que a segurança seja garantida para que os garis possam trabalhar com segurança.
E, por outro lado, abrir campanhas de conscientização para que a população possa reconhecer a importância desse trabalho na sociedade.
Esse trabalho deve ser contínuo até para garantir o saneamento básico das cidades.