Cidades

TCE registra queda de 5,2% em atraso de obras no Alto Tietê

Itaquá e Santa Isabel concluem obras. Salesópolis tem maior número de construções estagnadas

20/02/2020 05:00


O Alto Tietê fechou o quarto trimestre de 2019 com 36 obras em atraso no cronograma ou paralisadas. No entanto, mesmo com a demora para a conclusão, houve uma queda de 5,2% no número de obras, em relação ao período anterior. 
 
Os cinco pontos percentuais são referentes à retomada de obra em Itaquaquecetuba e em Santa Isabel, que também concluiu um projeto. A cidade de Suzano passou de seis para sete o número de obras por conta de novo registro. 
 
A cidade que registra o maior número de obras estagnadas é Salesópolis, com nove propostas. Dessas, sete estão atrasadas e duas paralisadas. Em seguida, Ferraz de Vasconcelos soma oito obras paralisadas, no valor de R$ 19,3 milhões. Na sequência estão os municípios de Suzano (7), Itaquaquecetuba (5), Arujá (2), Mogi das Cruzes (2), Guararema (1), Santa Isabel (1) e Biritiba Mirim (1). 
 
Os investimentos totais dos projetos nas cidades da região - exceto Poá, que não registrou obras no levantamento - somam R$ 128,3 milhões. 
 
Dessa cifra, a pesquisa registrou, até 10 de janeiro - data base dos dados analisados-, que houve quitação de 14% nos valores de repasse. 
 
As cidades que receberam os valores para o andamento dos trabalhos foram Itaquaquecetuba (43%), Salesópolis (55%), Santa Isabel (10%) e Suzano (44,6%). Os demais municípios ainda não receberam nenhum valor do estipulado para os projetos ou não registraram novos repasses dentro do período estudado. 
 
De acordo com o monitoramento, realizado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), os motivos que justificam os atrasos são irregularidades nas obras, inadimplência da empresa contratada, atrasos no repasse dos governos estadual e municipal, entre outros. 
 
As obras na região são para as áreas de habitação, mobilidade urbana, educação, saúde, edificações administrativas e reformas das instalações elétricas e instalação dos sistemas de climatização, além de equipamentos urbanos, como praças e quadras, e urbanização. 
 
Centro de Convenções
 
Em Ferraz de Vasconcelos, a obra do Centro de Convenções - que consta registrado na pesquisa do TCE do Estado como paralisada - passa por desenvolvimento de estudos sobre o assunto, segundo a Prefeitura de Ferraz. 
 
A prefeitura informou, em nota, que até o final de fevereiro entregará uma posição sobre os trabalhos da obra, localizada nas avenidas Brasil e Dom Pedro II, região central de Ferraz. A obra foi inaugurada incompleta em 2012. 

Nayara Francesco - da Região