Polícia

Caso motoboys desaparecidos: Setor de Homicídios prende 1° envolvido

Bruno Nunes de Souza e Matheus Reno de Mattos Carreira desaparecerem em agosto do ano passado

18/03/2020 16:22


Um dos envolvidos no sequestro e morte dos motoboys Bruno Nunes de Souza e Matheus Reno de Mattos Carreira, em agosto do ano passado, foi preso por policiais civis do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes. A informação sobre a prisão foi divulgada nesta quarta-feira, 18. 
 
A ação para capturar o suspeito foi realizada na terça-feira, 17, no Jardim Camila, em Mogi das Cruzes. Segundo a investigação, o indivíduo preso integra uma facção criminosa, que age dentro e fora dos presídios paulista e têm ramificações no país, inclusive no exterior.
 
De acordo com o delegado Rubens José Angelo, a prisão é o primeiro passo para tentar entender os reais motivos do sequestro e morte dos motoboys. Até hoje, a polícia só conseguiu localizar o corpo de Souza, uma semana depois de desaparecer, em uma cova na Rodovia Engenheiro Cândido Rego Chaves (SP-39), no Distrito de Jundiapeba.
 
"Descobrimos que ele (suspeito) contactou as vítimas. Ele armou uma emboscada, onde Matheus e Bruno foram sequestrados, sendo que a segunda vítima foi torturada, morta e enterrada. E, ainda, não sabemos se Matheus continua sequestrado ou foi morto", disse o delegado.
 
Angelo, ainda, falou sobre as buscas realizadas para localizar Matheus, na época da localização do corpo do amigo. "Fica essa dúvida. À época, a gente acionou, por três vezes, os bombeiros e o canil, com escavações e cães farejadores para tentar localizá-lo, o que não obtivemos sucesso", comentou o delegado do SHPP. 
 
O delegado, ainda, falou que o suspeito preso teve o sigilo telefônico quebrado. "Os álibis apresentados por ele (suspeito) foram desconstruídos, quando fizemos questionamentos referentes ao caso. Ele será indiciado pela morte e sequestro de Bruno e o sequestro de Matheus", afirmou. 
 
A hipótese da polícia é que o crime tenha relação ao narcotráfico. A confirmação, porém, não foi possível, uma vez que o suspeito preso não quis se manifestar. O DS tenta encontrar o advogado de defesa do indivíduo.
 
Agora, a investigação deve focar na tentativa de localizar o corpo da vítima. E, também, verificar a possibilidade do envolvimento de outros criminosos.

Marcus Pontes - de Mogi