Região

Grande São Paulo não tem risco de desabastecimento, diz Faesp

Entidades de classe constituem Rede de Inteligência com a Ceagesp, visando contribuir para manutenção do abastecimento

23/03/2020 15:47


O entreposto da Ceagesp na Vila Leopoldina, na capital paulista, está funcionando a pleno ritmo, mantendo fluxo regular nas atividades dos produtores e comerciantes atacadistas de hortifrutigranjeiros, bem como na comercialização dos produtos para os varejistas. "Por isso, não há risco de desabastecimento". A informação é de Tirso de Salles Meirelles, presidente do Sebrae-SP e vice-presidente da Faesp (Federação da Agricultura do Estado de São Paulo) e do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). 

No dia 19 de março, o líder classista reuniu-se com o presidente da Ceagesp, Jhonni Hunter Nogueira, para avaliar a questão, considerando a importância da oferta de alimentos neste momento de luta contra a pandemia do novo coronavírus. "No encontro, constituímos Rede de Inteligência para monitorar ininterruptamente as questões de abastecimento e, se necessário, adotar medidas para manter a cadeia de suprimentos", revelou Meirelles, acrescentando: são 12 mil produtores rurais e mil feiras livres operando normalmente e sendo monitorados. Felizmente, movimento está normal". 

Portanto, as pessoas e as famílias devem ficar calmas, porque não faltará comida na Grande São Paulo. Não há necessidade de corrida aos supermercados. Existe toda uma mobilização para que não ocorra desabastecimento, enfatiza o dirigente da Faesp, do Senar e do Sebrae-SP. Esta entidade participa diretamente da ação, considerando seu trabalho no âmbito das pequenas e médias empresas, dentre as quais há numerosos varejistas de hortifrutigranjeiros, inclusive feirantes. 

"Firmamos um importante compromisso com a Ceagesp para atuar de maneira integrada e adotar medidas eficazes e rápidas, caso necessário, para mitigar os efeitos da pandemia sobre o prioritário abastecimento de alimentos", afirmou Meirelles


de São Paulo