Editorial

Boletins eletrĂ´nicos

06/04/2020 23:59


Com poucas pessoas nas ruas, por conta da quarentena, os órgãos públicos tanto estaduais como municipais registram pouca procura.
As opções dos atendimentos eletrônicos crescem neste período. Na semana passada, o DS trouxe reportagem mostrando que o número de Boletins de Ocorrência (B.Os) registrados pela Delegacia Eletrônica da Polícia Civil aumentou em 50% após o início da pandemia do novo coronavírus. Além disso, o movimento nos plantões policiais caiu pela metade. 
O jornal conversou com o delegado seccional de Mogi das Cruzes e região, Jair Barbosa Ortiz.
Funcionários das delegacias de polícia também confirmam que o movimento reduziu bastante durante a quarentena. Inclusive um esquema com correntes e cadeiras foi montado dentro do plantão policial, a fim de impedir que as pessoas se aproximem do balcão, mantendo uma distância confortável entre funcionários e denunciantes.
A Polícia Civil ampliou o sistema de registro pela internet. Desde o último dia 25, casos como roubos ou furtos de cargas, a residências ou estabelecimentos comerciais; crimes contra o consumidor; ameaças e estelionatos podem ser registrados online. 
Segundo o delegado seccional, atualmente, é possível registrar os crimes em casa. 
A ocorrência será analisada e, se estiverem faltando detalhes, os técnicos da delegacia entram em contato com a vítima. Ela recebe uma cópia do documento e pode acompanhar o andamento das investigações. Um trabalho, sem dúvida, mais ágil e importante neste período em que as pessoas não podem sair nas ruas.
Casos como violência contra a mulher, homicídio, latrocínio (roubo seguido de morte) e estupro não podem ser registrados pela internet, uma vez que exigem ação imediata da polícia, que precisa ir ao local do crime imediatamente para realizar a prisão em flagrante.
A reportagem do DS mostrou que a ampliação dos serviços tem ajudado a reduzir as filas nos plantões policiais. Isso não tira a importância do estado de quarentena na região, que tem feito com que as pessoas façam os registros sem sair de casa.
A ideia do delegado seccional é conversar com todas as prefeituras da região, para que todas as cidades tenham espaços abertos para registros de ocorrências. 
Ele também citou a implantação de um formulário na Delegacia Eletrônica, que terá como objetivo ajudar a vítima a detalhar a ocorrência, tornando as investigações mais fáceis. O projeto está em fase experimental.
A quarentena deve ser respeitada, conforme pedem as autoridades de Saúde. Os serviços públicos essenciais estão mantidos, seja de forma presencial ou pela internet, uma opção a mais para o cidadão comum que está em sua residência neste período.