Editorial

Entre as 20

12/05/2020 23:59


Três cidades da região estão entre as 20 com mais casos de mortes por Covid-19. A pesquisa, revelada em reportagem do DS na edição de ontem, é preocupante.
Mostra que mais pessoas estão morrendo por coronavírus e estes números só aumentam.
Ao ponto de chamar atenção na média do Estado. Os números são da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).
Com essa quantidade de mortes é importante que as autoridades tomem providências no sentido de tentar “frear” esses casos. Mas é, imprescindível, a participação da população nesta tarefa. De que forma? Respeitando o isolamento e atendendo os chamados das autoridades de saúde.
O grande desafio, neste momento, é reduzir a curva ascendente de casos nas cidades da região. 
Infelizmente o Alto Tietê segue tendência de crescimento nacional de casos, o que preocupa.
Nos dados divulgados pelo Seade e publicados pelo DS, Mogi das Cruzes, Itaquá e Suzano são as três cidades do Alto Tietê na lista das 20 do Estado com mais óbitos de Covid-19.
Mogi é a 10ª cidade com maior número de casos e de óbitos decorrentes do Covid-19, com 31 mortes. 
Os dados são com informações do último domingo (10). Além de Mogi das Cruzes, é possível consultar os dados das outras 9 cidades do Alto Tietê. Em relação aos óbitos, Itaquaquecetuba aparece na 11º posição, com 30 mortes causadas pelo novo coronavírus. Suzano aparece em 13º lugar, com 27 óbitos registrados até o último dia 10. 
O combate à Covid-19 terá de ser cada vez mais efetivo, de forma a conscientizar a população sobre a importância de seguir recomendações das autoridades de saúde.
Pelo dados divulgados na reportagem do DS, o Seade também elaborou a porcentagem de letalidade de cada cidade, com base no número de casos e óbitos confirmados. Na região, Salesópolis tem a maior taxa de letalidade com 20%. Em seguida, Santa Isabel e Poá aparecem com 15,6% e 14,9%. Itaquaquecetuba e Suzano surgem na lista com 13,2% e 10,2%, seguidos por Ferraz de Vasconcelos e Mogi das Cruzes, com 9,6% e 7%, respectivamente. Guararema, Arujá e Biritiba Mirim fecham a lista com 5%, 4,5% e 0%.
Só para se ter uma ideia da dimensão de óbitos por coronavírus no Brasil, o número de mortos no País é maior que da população de cerca de 2.500 municípios brasileiros com até 10.626 habitantes cada, segundo estimativa populacional do IBGE no ano passado. Ou de 273 cidades do estado de São Paulo, de acordo com a Fundação Seade.
A quantidade de pessoas mortas no País por causa da Covid-19 desde 17 de março, quando a cidade de São Paulo teve registrado o primeiro óbito provocado pela doença no Brasil, é maior que a população inteira de Ilha Comprida (246 km de SP), que tem 10.031 habitantes, ou de Parapuã (586 km de SP), com 10.569 moradores, segundo a última estimativa da Fundação Seade.