Polícia

Polícia Civil flagra descarte irregular de medicamentos vencidos em lixo comum de Arujá

Ação foi realizada por agentes do 4º Distrito Policial (DP) de Guarulhos nessa quinta-feira, 11, à noite

12/06/2020 13:02


Um caminhão de lixo foi apreendido, nesta quinta-feira, 11, após policiais civis, do 4° Distrito Policial (DP) de Guarulhos, flagrarem sacos de lixo comum com diversos medicamentos vencidos. Segundo a investigação, o caminhão havia feito a coleta de resíduos comuns na Maternidade Dalila Ferreira Barbosa e do Pronto-Atendimento Municipal de Arujá. Segundo a Prefeitura, uma sindicância será aberta para investigar o caso. (Confira nota completa abaixo)
 
Dentre os medicamentos encontrados, haviam fracos de citrato de fentanila, medicamento utilizado para analgesia de curta duração durante o período anestésico. É importante reforçar que descarte de medicamentos vencidos deve seguir protocolos de saúde específicos.
 
Até o momento, a polícia não deu detalhes se alguém foi indiciado pelo crime. O caso será registrado na Delegacia de Arujá. 

Outro lado 
 
A Prefeitura de Arujá comunica que já abriu sindicâncias para apurar as irregularidades difundidas pelos meios de comunicação, apesar de não ter recebido notificação da justiça.

 

A administração também informa que já notificou o ITDM (empresa responsável pela gestão da maternidade, das unidades municipais de pronto atendimento e por todos os serviços nelas prestados) a fornecer esclarecimentos em relação aos fatos veiculados pela mídia nesta quinta-feira (11/06), envolvendo os medicamentos.

 

A Prefeitura esclarece e ressalta que os serviços prestados nas unidades municipais de saúde são realizados pela empresa supracitada, que atua sob contrato estabelecido mediante chamada pública, cujos trâmites e procedimentos foram seguidos à risca, conforme prevê a legislação.

 

A Prefeitura lamenta mais esse ocorrido, se coloca à disposição da justiça para elucidar o que for necessário e ressalta, uma vez mais, que a ITDM tem a obrigação legal de se pronunciar e explicar o ocorrido.

 

 

Já a ITDM, organização social gestora da unidade citada, esclareceu que os medicamentos descartados de forma irregular na quinta-feira (11/06) não pertenciam ao Hospital Municipal Dalila Ferreira Barbosa. 
  
Destacou, que, estes psicotrópicos são utilizados na sedação de pacientes entubados. Estes passaram a ser adquiridos pela unidade a partir da assistência a pacientes com Covid-19, na UTI implantada em maio.  
 
"Portanto, o estoque do referido medicamento foi adquirido e zerado ainda em maio. Devido à indisponibilidade de fornecimento por parte da fabricante, o hospital repôs o estoque com outro medicamento de igual efeito, segundo protocolo clínico da diretoria médica. 
 
Vale ressaltar ainda que o descarte e incineração de remédios vencidos é feita por empresa específica (que não é a envolvida no boletim de ocorrência) que faz a coleta de materiais hospitalares de forma exclusiva e separada do lixo comum. O procedimento segue protocolos previstos em lei e são fiscalizados pela Vigilância Sanitária. 
A ITDM está à disposição para demais esclarecimentos", informou nota da empresa.
 
 
Matéria atualizada às 16h56

de Arujá