Cidades

Representação feminina de 7,5% nas câmaras da região é menor que a média nacional

Em Guararema e Poá nenhuma mulher foi eleita na última eleição; maior número é em Itaquá, com três mulheres

22/09/2020 05:00


O número de vereadoras eleitas na eleição de 2016 no Alto Tietê representa 7,5% do total de cadeiras disponíveis. A região elege 160 vereadores à cada quatro anos, somando as dez cidades, e apenas 12 mulheres conseguiram ser eleitas.
 
O cálculo é feito dividindo o número de mulheres eleitas pelo total de cadeiras (160). Em seguida, multiplica-se por 100.
 
Os dados foram extraídos de reportagem publicada pela Folha de S. Paulo na última quinta-feira (17).
 
O percentual de vereadoras no Alto Tietê eleitas é inferior a média nacional, que está em 13%.
 
Em Suzano, são duas mulheres na legislação 2016-2020: Gerice Lione e Neusa do Fadul. A casa Legislativa possui 19 cadeiras, e 17 são ocupadas por homens.
 
Demais cidades
 
Em primeiro lugar está Itaquaquecetuba, como a Câmara com maior número de vereadoras eleitas. São três mulheres. São 19 vereadores eleitos em cada eleição. Atualmente, 16 são homens.
 
Na sequência aparece Arujá, com duas mulheres na Câmara Municipal. São 15 cadeiras, sendo 13 ocupadas por homens.
Em seguida, todas as cidades possuem apenas uma mulher entre os vereadores.
 
Em Biritiba-Mirim são 13 cadeiras e 12 são ocupadas por homens.
 
Já em Ferraz de Vasconcelos são 17 eleitos em cada eleição, e atualmente são 16 homens.
 
Mogi das Cruzes, município com o maior número de cadeiras na região. São 23 eleitos por eleição. Atualmente, 22 são homens.
 
Salesópolis possui 11 vereadores, sendo 10 ocupados por homens.
 
Por fim, Santa Isabel tem 15 cadeiras na Câmara Municipal, sendo 14 homens. Vale ressaltar que a cidade é governada por uma mulher, a Fábia Porto.
 
Apenas vereadores
 
Os municípios de Guararema e Poá não elegeram mulheres na eleição passada.
 
Em Guararema são 11 cadeiras, e todas ocupadas por homens.
 
Em Poá o número de eleitos são 17 à cada eleição. Atualmente somente homens atuam na casa.
 
Segundo a reportagem da Folha de S. Paulo, das 664 cadeiras nos 39 municípios, apenas 56 (8%) são de vereadoras, proporção menor do que a média nacional (13%). No caso do comando das prefeituras, são 3 prefeitas nas 39 cidades.

Fernando Barreto - de Suzano