Editorial

Regiões transmissoras

02/12/2020 05:00


Não se pode ‘baixar a guarda’. Os casos de Covid-19 ainda existem e continuam sendo registrados. Na maioria das regiões há aumento.
O DS trouxe, na edição de ontem, reportagem mostrando que os dados reunidos com as prefeituras das cidades da região revelaram que o Alto Tietê está entre os dez territórios que mais transmitem o novo coronavírus (Covid-19) no Estado de São Paulo.
Um dado preocupante. Não há dúvida de que é necessário reforçar ainda mais as ações, o processo de conscientização e a fiscalização em torno do comércio - que tem restrições de horário na abertura e fechamento.
A reportagem mostrou que há um aumento na transmissão, já que 100 pessoas com o vírus têm o poder de infectar outras 146.
O levantamento foi feito por pesquisadores e professores da Universidade Estadual Paulista (Unesp), do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas a Indústria (Cemeai) e da Universidade de São Paulo (USP). Diariamente, eles colhem dados de casos ativos, óbitos e recuperados das prefeituras de 92 cidades do Estado. 
A metodologia usada tem como base o número 1 e, a partir dele, os pesquisadores calcularam a aceleração e desaceleração da transmissão usando os números das prefeituras do Estado. 
A preocupação é de que em âmbito nacional, a taxa de transmissão (Rt) do novo coronavírus (Sars-CoV-2) já foi a maior desde maio, apontam dados do Imperial College de Londres, no Reino Unido. 
O relatório mostra que o índice está em 1,30. Isso significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 130 pessoas. Pela margem de erro das estatísticas, essa taxa pode ser maior (Rt de até 1,45) ou menor (Rt de 0,86). Nesses cenários, cada 100 pessoas com o vírus infectariam outras 145 ou 86, respectivamente.
Na região, a taxa acima de 1 apresenta maior disseminação do vírus. Abaixo deste número, representa desaceleração na transmissão.
No levantamento, a região apresentou, na última segunda, o número efetivo de reprodução de 1,46. Ou seja, 100 pessoas passam o coronavírus para outras 146. O crescimento ocorre desde o dia 11 de novembro, quando a taxa era de 1,06. Neste caso, 100 pessoas transmitiam o vírus para outras 106. 
A pesquisa é dividida por sub-regiões. Sete das dez cidades do Alto Tietê entraram no levantamento. Ficaram fora apenas Biritiba Mirim, Guararema e Salesópolis – as três menos populosas da região. Além das outras sete, Guarulhos também aparece no estudo.
São números de um estudo importante que mostram que temos de ficar atentos e precavidos contra a Covid-19.