Cidades

Campanha destaca importância de cuidar da saúde mental

Uma humanidade mais saudável pressupõe uma cultura da Saúde Mental no mundo

18/01/2021 23:20


O Janeiro Branco é uma campanha ao estilo Campanha Outubro Rosa e da Campanha Novembro Azul. O seu objetivo é chamar atenção da humanidade para as questões e necessidades relacionadas à Saúde Mental e Emocional das pessoas e das instituições humanas. Uma humanidade mais saudável pressupõe uma cultura da Saúde Mental no mundo. 
 
Porque no primeiro mês do ano, em termos simbólicos e culturais, as pessoas estão mais propensas a pensarem em suas vidas, em suas relações sociais, em suas condições de existência, em suas emoções e em seus sentidos existenciais. Como uma “folha ou em uma tela em branco”, todas as pessoas podem ser inspiradas a escreverem ou reescreverem suas próprias histórias de vida. 
 
De acordo com a psicóloga Sara Carlos da Silva, é de extrema importância que campanhas como essa existam para o reforço da importância da causa.
 
“O Janeiro Branco vem estrategicamente no início do ano por se tratar de um período em que as pessoas ficam mais reflexivas e pensativas em suas próprias vidas. Com o simbolismo do recomeço, é natural que nem todo mundo lide bem com isso. Então a campanha vem para acolher essas pessoas”, disse.
 
Além do contexto de recomeço, o fator pandemia também é relevante para o amparo psicológico das pessoas que enfrentaram além dos riscos de contaminação, a necessidade do isolamento social e o abandono de atividades de entretenimento, como shows, passeios e até uma simples ida à feira.
 
“Sem dúvidas, o fator pandemia pesou ainda mais nas questões psicológicas e emocionais das pessoas. Passamos por momentos difíceis, cada um precisou lidar com o seu “eu” e nem todos estão bem resolvidos com isso. A psicologia e as campanhas vem para abraçar essas situações”, disse a psicóloga Adriana Aparecida. 
 
Recomendações
 
A Prefeitura orienta que as pessoas com algum tipo de sofrimento mental procurem a unidade de saúde mais próxima de sua residência. O atendimento é realizado no próprio local, em sala privativa e ventilada, atendendo aos critérios de distanciamento social e protocolos sanitários contra a contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19).
 
De acordo com a Secretaria da Saúde, atualmente, também se vive uma pandemia de sofrimento mental. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 330 milhões de pessoas passam por depressão. Os casos no Brasil estão acima da média mundial: um indivíduo a cada 20 tem sintomas da doença. A maior incidência é entre mulheres e adultos na faixa acima de 55 a 69 anos. Por este motivo, ações de prevenção são fundamentais.

Matheus Cruz - de Suzano