Cidades

Moradores denunciam venda de terrenos do INSS no Sesc

05/05/2021 16:16


Moradores do bairro Sesc, em Suzano, estão convivendo com problemas decorrentes da ocupação irregular de residências e terrenos localizados no bairro. De acordo com os denunciantes – que preferem não ser identificados -, os imóveis são de responsabilidade do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mas por causa do abandono, estão sendo ocupados e negociados por estelionatários. 
 
De acordo com um morador, que pediu para não ser identificado, dois terrenos localizados na rua na rua Milton Pereira Vidal estão completamente abandonados. Apesar dos lotes também serem do INSS, há denúncias de que estelionatários estejam vendendo os terrenos para outras pessoas, mesmo sem qualquer documentação. 
 
Ao menos um dos lotes já chegou a ser vendido pelos estelionatários, é o que afirma outro morador. “Comecei a perceber que tinha uma pessoa limpando o terreno, até que fui questionar. Ele me disse que pagou entorno de R$ 60 mil pelo lote. Perguntei se ele tem a documentação, mas ele não soube explicar”, explicou. 
 
Em fevereiro, o DS foi até a rua Sebastião Pereira Vidal e a rua Ramon Barbancho, onde duas casas que também são de posse do INSS foram invadidas. Na época, os imóveis eram usados por usuários de entorpecentes e moradores de rua para a prática de crimes. 
 
Na época, o DS apurou que os imóveis teriam sido adquiridos por meio de financiamentos com o Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Comerciários (IAPC), mas os moradores não fizeram os pagamentos. Com isso, eles foram para o INSS, que teria pedido reintegração de posse. Com os imóveis desocupados, a nova ocupação indevida foi iniciada. 
 
Dois meses após as denúncias, a situação nas duas casas está “melhor controlada”, mas os invasores seguem nas residências de forma indevida. É o que relata um dos moradores, que também pediu para não ser identificado. 
 
Prefeitura
 
Sobre os lotes que supostamente estão sendo negociados indevidamente, a Prefeitura de Suzano informou que uma equipe do Departamento de Fiscalização de Posturas será enviada até o local nesta terça-feira (4 de maio) para verificar a situação e avaliar as medidas necessárias a serem tomadas. O DS também procurou o INSS, mas até o fechamento da reportagem, não obteve retorno.

Matheus Cruz - de Suzano