Editorial

Trabalho dos pais na escola

21/07/2021 05:00


O DS trouxe reportagem, na edição de ontem, mostrando que o governo de São Paulo vai contratar pais ou responsáveis de estudantes em situação de vulnerabilidade social da rede estadual paulista para atuarem nas escolas. Serão 20 mil em todo o Estado.
O programa Bolsa do Povo/Educação vai pagar uma bolsa mensal de R$ 500 para que os pais ou responsáveis trabalhem nas escolas. 
Eles vão atuar principalmente no acompanhamento de protocolos sanitários, para ajudar a garantir o retorno presencial seguro dos estudantes e funcionários.
A jornada de trabalho será de 4 horas por dia e vai ocorrer até dezembro. O programa é importante. 
O objetivo é auxiliar as famílias a superar os desafios educacionais e financeiros provocados pela pandemia e ampliar o envolvimento de toda a comunidade escolar, reforçando vínculos entre alunos, professores e servidores da educação e gerando novos postos de ocupação.
Para participar do programa, é necessário ser responsável legal pelo estudante da rede estadual de ensino de São Paulo, estar desempregado há pelo menos três meses, ter entre 18 e 59 anos de idade e morar próximo da unidade escolar. Um dos critérios preferenciais é estar cadastrado no CadÚnico.
Pelo menos 789 responsáveis de alunos da rede estadual do Alto Tietê serão contemplados com o programa Bolsa do Povo Educação. 
A iniciativa tem como objetivo auxiliar os responsáveis por alunos a superar desafios educacionais e financeiros da pandemia, além de ampliar o envolvimento da comunidade escolar. 
Entre os pré-requisitos necessários para ser atendido pelo programa está; ser responsável legal por aluno da rede estadual (um responsável por família); estar desempregado há pelo menos três meses; ter entre 18 e 59 anos; morar próximo à unidade escolar (raio de dois quilômetros). 
A medida vai proporcionar novas ocupações, ampliar a qualificação profissional, gerar renda para parte da população desempregada e aumentar as equipes escolares, mobilizando mais pessoas em prol da educação. 
O programa é uma medida muito importante, tanto para as escolas quanto para as famílias que mais precisam. 
Temos trabalhado muito para apoiar a todos, na área social, inclusive na alimentação escolar, servindo marmitas para os alunos.
Sem dúvida uma iniciativa para tentar reforçar a segurança dos estudantes e professores nesta pandemia.
O importante é prosseguir as aulas, mas seguindo as medidas de restrições.