Comemoração

'Deve ser sempre reverenciado no País', ressalta Mestre Amaro sobre Dia do Capoeirista

Capoeirista é um dos grandes precursores da prática em Suzano

02/08/2021 17:00


Comemorado em 3 de agosto, o Dia Nacional do Capoeirista é um marco simbólico para todos os amantes e admiradores da capoeira. Para além dos benefícios à saúde por meio da arte, a prática tem elementos importantes da história do Brasil e, por isso, segundo o capoeirista Amaro Caetano, o "Mestre Amaro", a data deve ser sempre reverenciada em todo o país.

Desenvolvida no Brasil por descendentes de escravos africanos, a capoeira é uma expressão artístico-cultural que mistura arte marcial, esporte, cultura popular, dança e música.  

Na cidade de Suzano, Mestre Amaro é um dos grandes precursores da prática. Em 1980, ele fundou a academia Marinheiro Mestre Amaro, com o objetivo de levar os ensinamentos da capoeira para mais pessoas. Segundo ele, o dia deve ser muito celebrado por todos os simbolismos e ensinamentos que traz. 

"Temos muito o que celebrar deste patrimônio. A capoeira nos traz e agrega muitos valores para a sociedade e contribui para a formação dos cidadãos. Trata-se de um manifesto popular, totalmente brasileiro", explica o mestre.

Apesar de hoje ser cultuada livremente em diversos espaços, até 1930, praticar capoeira era proibido no Brasil. Naquela época, ela era vista como uma pratica "subversiva e violenta", já que era feita por negros.  

Hoje, a capoeira é um dos principais símbolos da cultura brasileira em todo o mundo. A prática é reconhecida como um patrimônio cultural imaterial brasileiro, de acordo com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).  

Com tamanha riqueza cultural, os ensinamentos da capoeira precisam ser repassados para além da prática, como também o conceito e o sentido histórico, é o que avalia o capoeirista. 

"É preciso externar não apenas o lado bélico da coisa, mas também a cultura. Dentro deste contexto, a capoeira se caracteriza com a história do Brasil desde o período colonial", conta. 

A prática também é positiva pelo bem estar que promove. Segundo o mestre, "o som do berimbau e do atabaque são fundamentais para o alívio do estresse, e proporcionam a sensação de relaxamento mental", completa.

Comemoração 

Em decorrência da pandemia, as comemorações presenciais acerca da data estão suspensas como forma de evitar novos contágios e em respeito às medidas sanitárias de distanciamento social.


Matheus Cruz - de Suzano