Cidades

Agricultores fazem novo cálculo e têm perdas de 30% com onda de frio

Agricultores comemoram poucas perdas. Alto Tietê chegou a registrar 3ºC

02/08/2021 22:40


O frio intenso se mantém na região e os produtores rurais de Suzano voltam a contabilizar perdas na produção.
O percentual é de, no máximo, 30% nas plantações do município. Apesar disso, o resultado foi comemorado por agricultores, que esperavam mais perdas por conta das baixas temperaturas. O Alto Tietê registrou temperatura mínima de 3ºC. 
 
O agricultor Marcos Kiyuna é um dos que esperavam por mais perdas. “Estragou mais os produtos que estão no ponto de colheita. Não tínhamos muito. Quem tinha produtos nestas condições, com certeza perderam quase 100%”, disse o agricultor.
 
Em sua propriedade, localizada na região da Casa Branca, a maior perda foi de alface crespa. Outro problema citado é a demora para o crescimento das plantas. “A alface crespa é mais sensível, por isso tem grandes perdas. Dá até para aproveitar, mas precisa picar a parte queimada. Neste período a planta demora para crescer também. O ciclo dela aumenta em 20%, desde o semeio até a colheita. No calor cresce mais rápido”, explicou.
 
É o mesmo cálculo de João Maria. Lá, o produto com maior perda foi o agrião. No total, o agricultor calcula 30% de perda. “Demos sorte que não queimou muita verdura. Foi bem pouco. Alface perdeu bastante, mas não mexo com isso”.
 
No entanto, houve produtos que apresentaram uma cor mais amarelada. A lentidão do crescimento é a maior preocupação do agricultor. “Em ar livre não tem jeito. Graças a Deus não tivemos prejuízos. Ficou um pouco amarelado, mas ainda dá para colher. O problema é a demora para crescer”, disse.
 
Quem também comemora é Alexsandro Moraes da Silva. A união entre os trabalhadores foi fundamental para evitar grandes prejuízos. “Teve duas geadas e as perdas foram baixas. Chegamos até a perder produtos, mas não foram muitos. Para nossa surpresa, não foi tão grave como esperávamos”, finalizou. 

Thiago Caetano - de Suzano