Região

Fórum Internacional de Educação do Alto Tietê debate as políticas de alfabetização e novas tecnologias

Tema será debatido na terceira sessão virtual do Fórum, no dia 16, às 19 horas

14/09/2021 13:38


O 2º Fórum Internacional de Educação, que o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) promove durante todo o mês de setembro com o debate de questões relacionadas à educação nos tempos de pandemia nos anos iniciais do Ensino Fundamental, discute nesta semana os avanços e retrocessos nas políticas de alfabetização.

A terceira sessão virtual do fórum vai ao ar nesta quinta-feira (16), às 19 horas, com as participações das professoras Telma Ferraz Leal, pós-doutora em Educação e professora da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) e Lilian Bacich, doutora em Psicologia da Educação e diretora da Tríade Educacional, que entre outras abordagens falarão sobre limites e possibilidades das novas tecnologias aplicadas aos anos iniciais do ensino fundamental.

Idealizado para auxiliar no processo formativo dos docentes das redes públicas dos municípios do Condemat, o Fórum de Educação do Alto Tietê envolve mais de seis mil profissionais e as sessões são abertas ao público (https://www.youtube.com/c/forumeducacaoaltotiete).

Na semana passada, a segunda sessão do fórum foi dedicada a discutir a formação de professores e as políticas de avaliação para a aprendizagem. A professora Paula Louzano, diretora da Faculdade de Educação da Universidade Diego Portales, de Santiago do Chile, e doutora em política educacional pela Universidade de Harvard, falou sobre a prática da profissão do docente.

“A ideia da prática da docência se divide em três campos fundamentais: o conhecimento sobre os seus alunos e o desenvolvimento em diferentes contextos, o ensino e o conteúdo. Juntando os campos, o docente coloca em prática a sua base de conhecimento, tomando decisões no espaço escolar”, destacou.

A sessão contou ainda com a participação do professor Chico Soares, doutor em Estatística pela Universidade do Wisconsin e pesquisador da relação entre a atuação das escolas de ensino básico com os indicadores de desigualdades educacionais, que contextualizou o conceito de avaliação formativa.

“A avaliação formativa é um diagnóstico, onde o professor decide o que quer verificar coletivamente, cria as tarefas e deve olhar a resposta dos estudantes com uma visão de como cada um pode melhorar, para então fazer o feedback”, detalhou.

O evento é uma iniciativa das secretarias de educação dos municípios que integram o Condemat e conta com apoio da UNESCO, UNDIME, Itaú Social, Fundação Santillana e Oficina Municipal e com a organização executiva pelo IBSA, Instituto Brasileiro de Sociologia Aplicada.

Informações completas sobre a programação, palestrantes, dados estatísticos detalhados da região e diversos materiais de referência na área da educação estão disponíveis no portal do Fórum.


de Suzano