Editorial

Abertura do HC

24/09/2021 05:00


O DS vem acompanhando as definições sobre a abertura do Hospital das Clínicas (HC), em Suzano. 
A importância da abertura da unidade é reconhecida pelas autoridades de saúde no sentido de desafogar os atendimentos em outras cidades e regiões.
Nesta semana, o DS confirmou com a Secretaria de Estado da Saúde que o projeto assistencial para abertura do Hospital Auxiliar das Clínicas de Suzano (HC) está em processo de finalização.
O jornal mostrou que segundo a Secretaria de Saúde, um chamamento público será realizado ainda este ano.
De acordo com a pasta, as atualizações sobre o tema serão divulgadas à região. 
O órgão destacou ainda que, juntamente com o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, mantém o HC Suzano funcionando com 95 leitos de internação para pacientes crônicos e 20 leitos de enfermaria para tratamento do novo coronavírus (Covid-19). Além disso, recebe casos regulados pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross).
Suzano e região precisam da abertura desta unidade. O hospital é o local onde se fazem as maiores intervenções de saúde nos indivíduos com situação de agravo à saúde, de média e alta complexidade. 
Segundo especialistas, é também o local que concentra a maior quantidade de tecnologia, de especialistas e de capacitação técnica para atendimento à população.
Além da atenção especial à enfermidades, com diagnóstico, tratamento, reabilitação e atendimento de emergências, o ambiente hospitalar ainda se ocupa com a prevenção, que é o controle de doenças infecto-contagiosas, a saúde ocupacional e a promoção à saúde, por exemplo.
Na edição de hoje, o DS traz nova reportagem, desta vez, trazendo entrevista com o secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn. Ele confirmou que o HC será aberto. 
Desde o ano passado, o HC de Suzano recebe também pacientes com a Covid.
A expectativa agora fica por conta do chamamento público que será realizado para abrir o HC.
Os detalhes ainda devem ser divulgados, mas a expectativa de ampliar o atendimento, com a contratação de mais médicos, e também de toda a estrutura para receber pacientes da cidade e do Alto Tietê.
De fato, a região precisa de uma nova unidade hospitalar. 
Com o Hospital Regional que está sendo construído na Vila Amorim, a expectativa é de a demanda seja atendida com um pouco mais de capacidade.
Agora é esperar que o Estado cumpra sua promessa.