Destaque

Em menos de 24h, dois são mortos em Suzano

14/07/2015 08:01


Suzano registrou dois homicídios dolosos (quando há intenção de matar) somente no domingo. O primeiro assassinato aconteceu, às 6h31, na Estrada Furuyama, no bairro Rio Abaixo. A segunda morte violenta foi às 21 horas, na Rodovia Índio-Tibiriçá (SP-31), no Distrito de Palmeiras. Apenas no primeiro caso, a polícia identificou a vítima como sendo Chales Cardoso Santana, de 34 anos. No início de domingo, a Polícia Militar (PM) foi chamada para verificar o corpo de um homem caído na via. No local, os policiais encontraram Santana com dois ferimentos no pescoço e escoriações na mão esquerda, possivelmente, sendo oriundas de uma luta corporal. Ao tentar buscar mais informações sobre o crime, a polícia encontrou o irmão de Santana, que alegou ter presenciado o autor fugindo com uma faca na mão. Segundo ele, o suspeito chegou a ameaçá-lo de morte dizendo: “se não gostou, tem para você também”. A polícia perguntou ao homem se poderia fornecer mais detalhes sobre o autor e, assim, ele indicou a casa onde o responsável pela morte do irmão morava. Entretanto, ninguém foi localizado. Um investigador da Delegacia de Homicídios acompanhou os trabalhos de perícia e um inquérito policial será aberto para analisar o caso.

SEGUNDA MORTE Em menos de 24 horas, a PM foi chamada para verificar o corpo de outro homem na Rodovia Índio-Tibiriçá. No entanto, a vítima, que até o momento não foi identificada, foi encontrada às margens da SP-31.A princípio, a queixa apontava como um atropelamento seguido de morte. Quando chegaram ao local, os policiais viram que o homem tinha pelo menos seis perfurações oriundas de disparos de arma de fogo. No local, peritos conseguiram localizar apenas um aparelho celular. A polícia fez varreduras para tentar achar algum documento que pudesse identificá-lo, mas não obteve êxito. A Delegacia de Homicídios ainda não tem mais informações sobre a motivação nos crimes. Até o fechamento desta edição, a polícia informou que inquéritos serão abertos para analisar os crimes.