Esportes

Handebol e futebol feminino vão disputar medalha de ouro no Pan

23/07/2015 08:00


A seleção feminina de handebol não deu espaço para zebra, ganhou do Uruguai por 40 a 22 e garantiu vaga na decisão dos Jogos Pan-Americanos de Toronto. "Sabemos que somos favoritas, mas dentro da quadra tudo pode acontecer. Precisamos focar no nosso trabalho", afirmou Deonise, que fez uma grande partida e marcou sete gols. Com a vaga na decisão, a seleção feminina vai em busca do seu quinto ouro consecutivo no handebol do Pan. Em Winnipeg (1999), Santo Domingo (2003), Rio (2007) e Guadalajara (2011), o Brasil ficou no lugar mais alto do pódio. Antes, havia sido bronze em Indianápolis (1987) e Mar del Plata (1995). "Nosso objetivo maior é a conquista do ouro", comentou Dani Piedade, que participou das três últimas conquistas do Brasil. Futebol Feminino Depois da prata no Pan de Guadalajara, o futebol feminino tem uma nova chance de título. Ontem, o Brasil derrotou o México por 4 a 2 e se classificou para a disputa da medalha de ouro, neste sábado. O jogo foi marcado por destaques individuais, positivos e negativos. Cristiane abriu o placar e chegou ao sétimo gol no torneio. A zagueira Rafaelle marcou duas vezes, mostrando talento no jogo aéreo. Por outro lado, foram anotados dois gols contra, um de cada lado. Bem organizado e com jogadoras de boa técnica, como Stephany Mayor, o México equilibrou a partida em vários momentos. Depois do segundo gol, na metade da etapa final, as mexicanas ensaiaram uma pressão, mas Rafaelle definiu a vitória. Basquete Contando com o apoio de uma jovem e entusiasmada torcida, a seleção brasileira masculina de basquete ganhou mais uma nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Ontem, o time venceu a Venezuela por 79 a 64 e chegou à segunda vitória em duas partidas. Já hoje, às 22 horas (de Brasília), o Brasil encara os Estados Unidos buscando a liderança do grupo. Vitor Benite foi o principal nome do Brasil no jogo, com 14 pontos e quatro rebotes. O pivô Augusto Lima, um dos melhores da temporada europeia, também se saiu muito bem mais uma vez, com nove pontos. ESGRIMA Não foi em Toronto que o Brasil quebrou um tabu que já dura 44 anos e voltou a disputar uma final individual na esgrima dos Jogos Pan-Americanos. No Canadá, foram três oportunidades, nenhuma delas bem sucedida. Ontem, foi a vez de Ghislain Perrier, no florete, ser derrotado na semifinal e ficar com o bronze.