Colunista

Amigo Escritor

25/07/2015 08:00


Hoje, 25 de Julho, é o Dia Nacional do Escritor. A data foi estabelecida em 1960, proposta pelos escritores João Peregrino Júnior e Jorge Amado, durante o Primeiro Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira de Escritores. Bem, temos de reconhecer que se pretendia era mesmo homenagear a todos os escritores brasileiros e reconhecer toda a produção literária feita no País. Estamos falando da edição, da publicação de livros no Brasil. Porém, vamos lá, pensando juntos, nos dias que vivemos, com a Internet e as redes sociais dominando, tudo fica bem mais complicado, difícil, para os escritores publicarem seus textos. Não é só porque um livro é caro no Brasil. Eles não são acessíveis nem tão interessantes às crianças e jovens. E isso é coisa que se aprende, se for ensinado. Não é só fazer muita "contação de histórias", ler e decorar poemas, o que é sempre bom, ainda que não suficiente. Mas temos também de mostrar as descobertas científicas e como elas ficam registradas nos livros. Ah, coisa difícil! Então, e se nos dermos as mãos? Você acha que tenho preconceito contra a Internet? De modo algum! Peguei lá, por exemplo, umas frases de uns escritores que amo. Vejam suas sensibilidades e ironias. Jean-Paul Sartre: "Não se é escritor por ter escolhido dizer certas coisas, mas sim pela forma como as dizemos". Coisa bem parecida com o dito por outro escritor, também francês, Alain Robbe-Grilet: "O verdadeiro escritor não tem nada a dizer. O que conta é o modo que ele diz". Ou a ironia do argentino, Jorge Luis Borges: "Quando os escritores morrem, eles se transformam nos seus livros. O que, pensando bem, não deixa de ser uma forma interessante de reencarnação". Ou a racionalidade do português, Vergílio António Ferreira: "Todo o escritor que é original é diferente. Mas nem todo o que é diferente é original. A originalidade vem de dentro para fora. A diferença é ao contrário. A diferença vê-se, a originalidade sente-se. Assim, uma é fácil e a outra é difícil". Ah, não posso esquecer, no último dia 20 de Julho tivemos o, já oficializado por Lei no Brasil, Dia do Amigo e o Dia Internacional da Amizade. Foi instaurado inicialmente na Argentina, por Enrique Ernesto Febbraro, comemorando a chegada do homem à Lua, num sinal de que a união supera todo e qualquer obstáculo. Em 2011, a ONU propôs que essa comemoração fosse no dia 30 de Julho. Gente, temos muito a comemorar. Podemos começar já?

Suami Paula de Azevedo