Polícia

Polícia investiga crime cibernético de R$ 48 mil

13/08/2015 08:00


A Polícia Civil de Suzano investiga um crime cibernético que causou um prejuízo de R$ 48 mil. Na ocasião, a gerente de um ponto de combustível contou à polícia que três transferências foram feitas da conta que, provavelmente, foi ‘invadida’. O caso aconteceu na terça-feira. CASO A representante do posto contou à polícia que recebeu uma ligação de uma suposta funcionária do banco informando que ela precisava fazer uma atualização das contas bancárias no site da agência. Após as instruções, a mulher teria digitado três senhas de acesso e, depois, sido informada que transferências foram realizadas com êxito, totalizando R$ 48 mil. HACKEADO Entretanto, ela ligou para o banco e foi informada que, provavelmente, alguém havia 'hackeado' o computador, quando uma pessoa utiliza irregularmente os dados de outra por meio de informações obtidas virtualmente. Assustada, ela negou que tivesse responsabilidade das transferências, que não puderam ser revertidas. Um inquérito policial foi aberto e o caso será investigado pelo Setor de Investigações (SI) da Delegacia Central. Caso seja confirmada a fraude digital, a polícia deverá buscar o IP (Internet Protocol) do hacker para, depois, identificá-lo e prendê-lo. A legislação brasileira prevê penas leves para 'hackers' que variam de um a seis meses ou multa. Entretanto, o caso foi registrado como estelionato e o autor poderá ficar preso por um a cinco anos, além de pagar multa.