Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/11/2017
mrv

Desemprego aumenta em junho na Região Metropolitana de São Paulo

30 JUL 2015 - 08h00

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo aumentou pelo quinto mês consecutivo, ao passar de 12,9% em maio para 13,2% em junho, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade). O levantamento, feito mensalmente, foi divulgado ontem, na Capital paulista.

Em junho, o contingente de desempregados foi calculado em 1,467 milhão de pessoas, 32 mil a mais do que no mês anterior. Esse número é decorrente da diminuição do nível de ocupação, com a redução de 42 mil postos de trabalho (-0,4%), e queda de 0,1% da estabilidade da População Economicamente Ativa (PEA), com 10 mil pessoas saindo do mercado de trabalho. O nível de ocupação eliminou 12 mil postos de trabalho, o que corresponde a uma queda de 0,1%.

Os dados mostram que o nível de ocupação caiu 0,4% em março e o número de ocupados foi estimado em 9,644 milhões de pessoas. O resultado foi devido à redução do número de empregados no setor de serviços (-1,1% ou a eliminação de 63 mil postos de trabalho), na indústria de transformação (-0,5% ou menos 7 mil empregos) e na construção civil (-0,4% ou menos 3 mil vagas). Houve aumento no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (2,4% ou geração de 41 mil postos de trabalho).

De acordo com a pesquisa, entre maio e junho, o rendimento médio real dos ocupados e assalariados foi de R$ 1.941 e R$ 1.945. A massa de rendimentos dos ocupados cresceu 1% e a dos assalariados, 0,5%. O número de assalariados caiu 0,9% em junho. No setor privado, o número de trabalhadores com carteira assinada subiu 0,3% e o de sem carteira diminuiu 6,7%. O volume de autônomos ficou estável em 0,2%, e os empregados domésticos tiveram retração de 2,1%.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias