Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 31 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 31/10/2020

Tempo integral

20 JAN 2016 - 01h42

Tentar melhorar a educação tem sido um grande desafio para as administrações. Programas educacionais e, sobretudo, a implementação do período integral são algumas sugestões que podem melhorar a educação.

O setor, em São Paulo, conta com diversos programas com o objetivo de oferecer ao jovem uma jornada ampliada de estudos. Mais de 50 mil estudantes são atendidos pelas 236 Escolas de Tempo Integral (ETI), que oferecem, no contraturno das aulas regulares, atividades esportivas e culturais.

Mas, o número ainda é inferior à necessidade atual, conforme mostrou o DS na edição de ontem. Somente um em cada dez estudantes estão em escolas de tempo integral.

Já no Novo Modelo de Escola de Tempo Integral, presente em 257 escolas, a jornada é de até nove horas e meia, incluindo três refeições diárias. Na matriz curricular, os alunos têm orientação de estudos, preparação para o mundo do trabalho e auxílio na elaboração de um projeto de vida. Além das disciplinas obrigatórias, os estudantes contam também com disciplinas eletivas, que são escolhidas de acordo com seu objetivo.

Os professores desse modelo atuam em regime de dedicação exclusivo e, para isso, recebem gratificação de 75% em seu salário, inclusive sobre o que foi incorporado durante sua carreira.

A educação é, sem dúvida, um grande desafio. Será preciso, nesse momento, qualificar professores, oferecer salários dignos, e garantir condições ‘logísticas’ adequadas para os estudantes.

Em 2015 o período integral foi ampliado, no Estado, para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental e 17 escolas atenderão crianças entre 7 e 11 anos. Esses alunos terão a oferta de atividades pedagógicas artísticas e lúdicas, além da apresentação aos conceitos do protagonismo juvenil e gratificação dos servidores.

O levantamento, divulgado na reportagem de ontem pelo DS, levou em consideração alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio de escolas municipais e estaduais.

O número total de estudantes entre 2014 e 2015 apresentou queda de 2,31%. Há dois anos existiam 640.598 alunos. No ano passado, o número computado foi de 625.796 estudantes. A quantidade registrada no ensino parcial também diminuiu. O percentual chegou a 3,41%, já que em 2014, o Alto Tietê tinha 589.944 alunos. É importante aprimorar o setor que vai revelar o futuro do País.

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias