Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 20 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2019
PMMC SEGURANÇA
PMMC NOVEMBRO AZUL
COLEGIO CETES 15/10 A 15/01/20
Pmmc maternidade
Pmmc Refis 2019
Em Poá

Falsa 'bruxa' é presa por extorsão e suspeita de aplicar golpes de cura espiritual

De acordo com a polícia, a mulher se apresenta como 'Dona Cristina' para enganar vítimas

Por Marcus Pontes - de Poá23 OUT 2019 - 12h42
Carro de luxo de suspeita foi apreendido sob suspeita de ter ligação aos golpesFoto: Polícia Civil/Divulgação
Uma mulher, de 31 anos, foi presa por extorquir dinheiro de uma vítima sob falsa alegação de cura espiritual. Ela foi presa nessa terça-feira, 22, em Poá. Para captar alvos, a golpista se apresentava como 'Dona Cristina', e colava cartazes em cidades da região, com a promessa de serviços específicos de libertação. Segundo o delegado Eliardo Amoroso Jordão, responsável pelo caso, a investigação continua, pois, um levantamento vai verificar o número de vítimas e o prejuízo causado pelos golpes. 
 
A golpista foi presa em um carro de luxo no Centro da cidade. Para poder prendê-la em flagrante, policiais se passaram pela vítima, para marcar um encontro. Ela não resistiu à prisão. O veículo de alto padrão foi apreendido, uma vez que há suspeitas de que tenha sido adquirido a partir de outros golpes.
 
De acordo com a investigação, a onda de crimes da falsa bruxa teve fim a partir de uma denúncia. Uma das vítimas, que é natural da região Nordeste do país, buscou ajuda de policiais civis noticiando estar sendo alvo de frequentes extorsões. O relato da vítima dizia ainda que a golpista estava a extorquindo, por meio de mensagens de texto e ligações, com alegação de que 'espíritos' iriam matá-la, caso não enviasse mais dinheiro.  
 
Segundo a investigação, a falsa bruxa chegou a viajar e ir até a casa dessa vítima. Durante a visita, a golpista convenceu de que os móveis e eletrodomésticos da mulher teriam de ser cedidos, pois estavam com a 'energia negativa carregada', o que foi acatado.
 
"Suspeitamos de que o número de vítimas seja muito maior, porque essa golpista colava cartazes em postes de iluminação, para atrair mais pessoas. Por isto, apesar da prisão, a gente vai continuar investigando o caso", destacou o delegado, que acrescentou dizendo que essa não é a primeira passagem da suspeita na Justiça.
 
"Ela já foi presa, em 2014, por suspeita de integrar uma quadrilha de roubos à residência. Também teve o veículo relacionado em uma tentativa de assalto a posto de combustível este ano", finalizou. 
 
 
 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias