Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 18 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
PMMC COVID LAR
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Guarda é preso por participar de quadrilha

17 AGO 2016 - 08h00

Um Guarda Civil Metropolitano de São Paulo foi preso na segunda-feira, em Mogi das Cruzes, por ser o responsável pelos armamentos de uma quadrilha que roubava e explodia caixas eletrônicos no Estado de São Paulo. Inclusive, caixas situados no Terminal de Ônibus Central e em um supermercado de Mogi das Cruzes foram alvos do bando.

A Justiça concedeu a prisão preventiva do guarda depois do pedido da polícia. As acusações serão analisadas pela Guarda Municipal de São Paulo, e se forem positivas, o guarda será demitido. Já a quadrilha foi presa no começo deste mês durante operação da Delegacia Seccional da cidade. Na operação, dez suspeitos foram presos.

De acordo com o delegado e responsável pelo caso, Alexandre Batalha, o guarda negou envolvimento na quadrilha, mas em sua casa foram encontrados armamentos.

“Ele foi preso, mas nega ter participação na quadrilha. A prisão aconteceu na própria casa dele e é preventiva”, comenta.

Além disso, um dos presos na operação do começo deste mês é genro do guarda. Ainda, por ele fazer parte do sistema público, o bando acreditava que seria difícil serem descobertos.

OPERAÇÃO

Na operação realizada no começo deste mês, dia 4, nove suspeitos foram presos em São Paulo Capital e um em Mogi. Eles estavam em posse de drogas, munições, pistolas e um fuzil AK-47.

As acusações são por sete casos de explosões de caixas eletrônicos em Mogi das Cruzes, Cajamar, Várzea Paulista, Valinhos, Campinas, Itararé e Itatiba.

Em declarações, o delegado Alexandre Batalha, um dos responsáveis pela operação, afirmou que outros casos poderão ser solucionados a partir dessas prisões. “Com essas prisões, poderemos solucionar outros casos similares”.

Ainda, apurações de investigadores envolvidos no caso revelam que a quadrilha tinha como próximos alvos as cidades de Salesópolis, Jacareí, Aparecida, Itanhaém e São Roque.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias