Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 25 de Fevereiro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/02/2018

Há 29 anos fugindo da polícia, homem acaba preso por porte de arma e posse de drogas

Condenado por latrocínio - roubo seguido de morte-, homem estava foragido desde 1989, quando fugiu da Colônia Penal Ataliba Nogueira, em Campinas

Por Marcus Pontes - de Itaquá12 FEV 2018 - 11h21
Durante ação, três tijolos de maconha e uma espingarda foram apreendidosFoto: Polícia Militar/Divulgação
Atualizado às 11h32
 
Depois de permanecer 29 anos foragido, um homem, de 59 anos, foi preso pela Polícia Militar (PM) em Itaquaquecetuba. O refúgio do condenado foi descoberto, depois de denúncia anônima. Segundo a cúpula do 35° Batalhão de Polícia Militar Metropolitana (BPM/M), a prisão foi possível, já que o homem foi detido em flagrante por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. A ação foi realizada, no último sábado (10), por policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam).
 
A ação para prendê-lo ocorreu em meio a uma operação desencadeada pela PM e a Guarda Civil Municipal (GCM) na cidade. Os PMs encontraram o latrocida - termo utilizado para pessoas condenadas por latrocínio (roubo seguido de morte)- em uma casa, localizada na Rua Rondônia, no Jardim Aracaré.
No imóvel do acusado, a polícia localizou três tijolos de maconha - totalizando quase dois quilos-, além de uma espingarda calibre 32 e munições.
 
Condenação
 
Quanto à condenação por latrocínio, a polícia disse que o homem fugiu em 1989. Ele chegou a cumprir 12 anos de pena, mas fugiu quando faltavam mais três anos. O latrocida estava preso na Colônia Penal Ataliba Nogueira, em Campinas. Por conta do exílio, a pena do homem prescreveu. 
 
Ao DS, os policiais contaram que a prisão causou surpresa no condenado. Isto porque, segundo o homem, ao longo dos 29 anos, ele buscou sempre se manter discreto e não levantar qualquer suspeita da polícia. Além disso, de acordo com a polícia, o foragido disse não acreditar como foi encontrado. 
 
Rotina
 
A rotina do foragido era moderada. A PM informou que ele evitava ao máximo se expor. Portanto, agia sempre com cautela. Alguns exemplos é que o homem aceitava trabalhos informais como pedreiro, evitava frequentar bares e, além disso, cultivava um relacionamento há 15 anos com uma mulher, que não sabia do envolvimento passado dele.
 
Agora, ele responderá pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. 
 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias