Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 29 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
ÚNICCO POÁ
SOUZA ARAUJO
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo

Jovem é morta a tiros por homem de 41 anos

06 SET 2016 - 08h00

Um relacionamento afetivo de aproximadamente um ano entre uma adolescente de 16 anos e um pedreiro, de 41, terminou em um assassinato no domingo, em Itaquaquecetuba. A jovem Renata da Silva Santos morreu depois de ser baleada pelo companheiro na casa em que moravam, no bairro Jardim Souza Campos. Ela foi encontrada morta dentro de um banheiro da residência, baleada no tórax, axila, braço, punho e mão.

O motivo para os disparos, segundo o pedreiro, em depoimento, foi uma discussão na noite anterior aos fatos. Ambos se agrediram.

A jovem, buscou abrigo no banheiro da casa, e através de uma porta de plástico pvc sanfonada, foram feitos os disparos que mataram a mataram.

De acordo com os policiais, foram mais de quatro disparos.

Além disso, Renata estava com as calças abaixadas, motivo que será investigado para saber se houve estupro ou vilipêndio a cadáver.

O corpo da jovem foi encontrado pela própria mãe, por volta das 10 horas de domingo.

Em depoimento, ela revelou que ambos brigavam constantemente por causa de ciúmes, vindo por parte do pedreiro. Contou que ele era doente de ciúmes e já agrediu a filha em outras ocasiões.

DISPAROS

Os disparos foram ouvidos por vizinhos do casal, que correram para avisar a mãe da jovem. Eles contaram a polícia que os tiros aconteceram por volta das 4 horas da madrugada.

Peritos estiveram no local para analisar o caso, e momentos depois, por volta das 11h35, a Polícia Militar (PM), soube que o pedreiro estava em um bar situado na Estrada do Mandi. Na ocasião, ele pedia ajuda por estar baleado no pescoço.

CONFISSÃO

Já no Hospital Santa Marcelina da cidade, o pedreiro confessou aos policias que atirou contra a jovem, e que ainda, deixou a arma na lavanderia da casa. Ele fugiu após o assassinato, mas não contou onde ficou escondido e nem como conseguiu o revólver, de calibre 38. A prisão foi em flagrante.

Da casa, foram apreendidos a arma, um projétil, com dois cartuchos picotados e quatro deflagrados. O pedreiro irá responder por homicídio qualificado- feminicídio.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias