Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 12 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/12/2017
mrv
Facção crimonosa

Polícia Militar prende ‘locatários’ de armas à assaltantes para crimes na região

Para o tenente-coronel Anderson Caldeira, há fortes indícios de que os detidos pertençam a uma facção criminosa

Por Marcus Pontes - de Itaquá05 OUT 2017 - 13h33
Polícia apreendeu duas pistolas, um revólver, além de farta quantidade de muniçãoFoto: Polícia Militar/Divulgação

Duas pistolas - calibre 380 e 32 - e um revólver calibre 38, além de farta munição. Este foi o material localizado na posse de dois homens, de 28 e 29 anos, na Rua dos Desenhistas, no Jardim Itaquá, em Itaquaquecetuba. De acordo com o tenente-coronel do 35º Batalhão de Polícia Militar Metropolitana (BPM/M), Anderson Caldeira, as armas eram alugadas para criminosos cometerem crimes em toda a região. Além disso, o oficial frisou que há suspeitas de que os detidos pertençam a uma facção criminosa que age na Capital, bem como têm ramificações em todo o País.

A Polícia chegou aos suspeitos depois de uma denúncia anônima (190). Na noite desta quarta-feira (4), os policiais receberam a informação de que o dono de um Volvo XC60 - modelo de luxo- possuía diversas armas, inclusive alocando-as para bandidos cometerem crimes de violência na região.

Em pouco tempo, a polícia conseguiu encontrar o suspeito. Ele não ostentava nenhuma arma, mas foi localizado dentro do veículo 17 munições de calibre 380. À PM, o homem disse que era empresário. E confirmou que tinha duas pistolas e um revólver, porém, os armamentos tinham sido entregues a um amigo para que as guardasse. 

Os policiais seguiram ao endereço do citado, sobretudo, não encontrou as armas. O homem falou que entregou-as a um funcionário do empresário. Novamente, a polícia seguiu a outro endereço - não mencionado. Lá, as pistolas e o revólver foram localizados escondidos dentro de uma espécie de caixa de sapatos. 

De acordo com a Polícia Civil, o funcionário do empresário negou ter qualquer relação com as armas, principalmente mencionando que nunca teve passagem na Justiça. E também que não sabia sobre o conteúdo da caixa.

Os suspeitos foram encaminhados à Delegacia Central. Eles responderão ao crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias