Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 21 de julho de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/07/2018
PMMC JULHO - FÉRIAS NA CIDADE
PMMC JULHO - DESKTOP
MRV WEB -SUPER SUPREME

Setor de Homicídios divulga retrato falado de suspeito em participar de execução

Ajudante Douglas Mendes da Silva, de 18 anos, foi executado com tiro na cabeça, em julho do ano passado, em Poá

Por Marcus Pontes - de Poá10 JAN 2018 - 17h10
Polícia divulgou retrato falado de primeiro suspeito do crimeFoto: Divulgação

O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes divulgou nesta quarta-feira (10) o retrato falado de um dos bandidos que participou da execução do ajudante Douglas Mendes da Silva, de 18 anos. O rapaz foi assassinado em julho do ano passado, dentro de um terreno baldio, localizado na Rua Gardênia, na Vila Real, em Poá.

De acordo com o delegado Eduardo Boigues, a imagem divulgada trata-se do primeiro homem ao entrar no terreno, e questionar o motivo da permanência de Silva no local, bem como por tê-lo espancado. Além disso, o delegado relembrou que este suspeito foi o responsável pelo assovio, que teria alertado ao segundo criminoso e apontado como o autor do disparo.

Na época, a vítima chegou a ser socorrida às pressas ao Hospital Regional Dr. Osíris Florindo Coelho, mas não resistiu ao único ferimento causado na cabeça.

(Jovem foi executado em julho do ano passado, dentro de um terreno baldio em Poá Foto:Arquivo pessoal)

“A única testemunha disse que depois do Douglas (vítima) ser espancado, o agressor começou a assoviar. De repente, um segundo homem se aproxima, com o rosto coberto por roupas, e efetua um único disparo na cabeça do jovem”.

À época, a menina que estava com junto com a vítima disse ter fugido, depois de ouvir o disparo. A versão dada por ela era de que também temia ser alvo dos criminosos. Outra garota estava na companhia do casal, porém não teria visto ou observado nada.

Boigues, porém, falou que o motivo para o crime ainda não foi descoberto. Isto por causa da falta de informações que possam levar a identificação dos criminosos. Uma das dificuldades durante as investigações é a falta de câmeras de monitoramento que pudessem ter filmado a chegada ou fuga dos bandidos.

“Pedimos a colaboração das pessoas para poder identificar este indivíduo e, assim, darmos à família do Douglas paz. São pessoas perigosas para estarem na rua, porque se mataram um jovem, poderão assassinar outras vítimas”, destacou Boigues.


(Boigues pede participação da população para poder identificar bandidos Foto: Bruna Nascimento/Divulgação)

A Polícia Civil pede que a população colabore com qualquer informação sobre o crime. As informações podem ser passadas por meio do Disque-Denúncia (180), ou pelo telefone da delegacia de homicídios: 4721-1221.  

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias