Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 02 de julho de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 01/07/2020

Setor de Homicídios prende suspeito de mandar matar aposentado

Caso aconteceu em setembro de 2018, em Itaquá. Atirador segue foragido

Por Daniel Marques - de Itaquá16 JAN 2020 - 13h56
Dos dois alvos, um foi localizado. Na casa dele, foram encontradas nove munições de calibre 12Foto: Divulgação/Polícia Civil

O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes prendeu, na madrugada desta quinta-feira, 16, o suspeito de mandar matar o aposentado João José dos Santos, de 63 anos, em setembro de 2018, no Jardim Maria Elisa, em Itaquaquecetuba. De acordo com o delegado Rubens José Ângelo, as buscam vão se intensificar para localizar o atirador, que está foragido. 

A investigação sobre o crime durou pouco menos de dois anos. Depois de obter provas identificando o atirador e o mandante, a polícia solicitou mandados contra os criminosos. As ordens de busca e apreensão e prisão temporária foram dadas esta semana. 

Dos dois alvos, um foi localizado. Na casa dele, foram encontradas nove munições de calibre 12. As buscas ao segundo criminoso seguem em andamento. 

Investigação

As descobertas de quem era o atirador e mandante foram difíceis, segundo o delegado. Isso porque testemunhas não haviam conseguido observar nenhuma característica do rosto do atirador na época do assassinato.

“Descobrimos quem atirou por causa das impressões digitais coletadas em panfletos políticos da época. O setor manteve cautela e não descartou a hipótese de ele ter trabalhado na parte gráfica do material. 
No entanto, a participação do atirador foi confirmada após a quebra do sigilo telefônico do mesmo”, explicou o delegado. 

De acordo com a investigação, à época, o atirador foi confrontado sobre estar na cena do crime, mas negou. “Com a quebra de sigilo, pudemos comprovar que ele mentiu”.

O delegado também contou sobre como identificaram o mandante. “Ele (mandante) levou o atirador até a casa de uma testemunha, para ameaça-lá de não contar o que teria visto. Isso nos despertou suspeitas”, disse Ângelo, que complementou dizendo que o suspeito de ordenar o homicídio negou a autoria: “(Ele) diz que não participou do crime. Ambos foram indiciados, mas só podem ser considerados culpados em juízo. A ideia e descobrirmos o motivo do crime”, finalizou. 

O assassinato

O crime aconteceu na tarde de 24 de setembro de 2018. João José dos Santos, o João do Gás, na época com 63 anos, conversava com outras pessoas na Rua dos Vereadores, no Jardim Maria Elisa, quando um homem que entregava panfletos sacou uma arma de fogo da cintura e efetuou disparos que atingiram o aposentado e outra pessoa que o acompanhava.

A identificação do suspeito foi difícil, já que ninguém viu o rosto do atirador. No entanto, a polícia encontrou panfletos ao lado do corpo e, pelas impressões digitais, conseguiu identificar o atirador. Em seguida, a polícia chegou ao suspeito mandante do crime.

O SHPP decretou a prisão temporária dos dois suspeitos, e a 2ª Vara Criminal da Comarca de Itaquaquecetuba concedeu busca e apreensão domiciliar nas residências dos investigados.

A investigação foi complexa, e todos os policiais do SHPP participaram do caso.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias