Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 21 de Janeiro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/01/2018
MRV WEB
Balanço

Alto Tietê produz 1,2 mil toneladas de lixo por dia, aponta Cetesb

Quantidade está abaixo da média calculada para a produção nacional, em que a estimativa destaca a geração diária de 1,15 quilo por pessoa

Por Marília Campos - da Região14 JAN 2018 - 07h33
Na região, os 1,6 milhões de habitantes produziram em média 0,8 quilo por diaFoto: Sabrina Silva/Divulgação
As cidades do Alto Tietê produziram 1.297 toneladas de lixo por dia, em 2016. É o que aponta a última atualização do Inventario Estadual de Resíduos Sólidos, produzido pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). A quantidade está abaixo da média calculada para a produção nacional, em que a estimativa destaca a geração diária de 1,15 quilo por pessoa, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Na região, os 1,6 milhões de habitantes produziram em média 0,8 quilo por dia.
 
Mogi das Cruzes, por ser a cidade mais populosa da área, também lidera o ranking de produção de lixo com 356 toneladas de resíduos sólidos urbano (RSU) por dia. 
 
O município é seguido por Itaquaquecetuba, com 321 toneladas. A terceira maior geração, de acordo com a Cetesb, foi verificada em Suzano com 225 toneladas. Nenhum dos dez municípios superou a média nacional de produção diária de resíduos. Em comparação com o número de habitantes, Itaquá apresenta a média mais alta, com 0,89 quilos diários produzidos pelos 360 mil moradores da cidade.
 
O aumento na geração de lixo pode ter impacto negativo para os munícipes, à medida que os custos para coleta e tratamento dos resíduos também crescem. O Ministério do Meio Ambiente ainda alerta para o impasse diante da deposição final do lixo, já que há cada vez menos espaço disponível. O problema é agravado quando os resíduos são deixados em locais inadequados ou a coleta é deficitária. Nesta situação, pode ocasionar a contaminação do solo, ar e água; proliferação de doenças; entupimento de redes de drenagem urbana; enchentes e degradação do ambiente.
 
Para evitar o desperdício e o conseqüente aumento do lixo, é preciso que a população colabore com medidas simples que podem ser aplicadas no dia-a-dia. Uma das orientações é planejar a compra de alimentos; evitar o uso de materiais descartáveis e optar por produtos duradouros em casa. 
 
Brasil
 
Segundo a Abrelpe, a média nacional de 1,15 kg de lixo produzido por habitante diariamente já alcança os padrão dos países europeus, onde a média chega a 1,2 kg por morador. Os Estados Unidos está no topo da lista, com 2,5 kg de resíduos per capita. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias