Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 18 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/11/2019
CENTRO ONCOLÓGICO
Pmmc Refis 2019
Pmmc maternidade
PMMC MIGO
PMMC SEGURANÇA

Após divulgação da inocência de ambulantes, familiares e amigos pedem prisão de GCM

Manifestantes voltaram a reivindicar respostas quanto o andamento do caso em que dois ambulantes foram mortos

Por Marcus Pontes - de Mogi21 OUT 2019 - 19h23
Manifestantes realizaram novo ato em frente à delegaciaFoto: Hélio Torchi/Divulgação

Pela segunda vez em menos de uma semana, familiares e amigos dos ambulantes Bruno Nascimento Martins de Souza e Rodinei Alves dos Reis, de 32 e 33 anos, respectiva, mortos em um posto de combustível, no feriado de Dia das Crianças, reivindicaram nesta segunda-feira, 21, que um dos guardas envolvido no tiroteio seja preso o quanto antes. Os manifestantes voltaram a entoar palavras de ordem em frente ao Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes - delegacia que está investigando o caso.

O ato ocorre quatro dias após a Polícia Civil enumerar elementos provando a inocência dos ambulantes mortos e de Kaue Oliveira Francisco, de 21 anos, que foi preso injustamente sob suspeita de ter participado do assalto em que guardas municipais de Itapecerica da Serra trocaram tiros com bandidos, no sábado de Dia das Crianças, em um posto às margens da Rodovia Ayrton Senna (SP-70), em Itaquaquecetuba.

Novamente como ocorreu no começo da semana passada, os manifestantes entoaram palavras de ordem. Desta vez, os cânticos eram para que um dos guardas seja preso pelo assassinato dos ambulantes, bem como haja apuração rigorosa quanto às agressões em que Kaue sofreu no dia. Para se ter ideia, o jovem ficou quatro dias preso injustamente, no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Suzano.

Conforme divulgado pelo DS, o delegado Rubens José Ângelo, responsável pela investigação, afirmou, em entrevista coletiva à imprensa, que aguardará laudos para poder tipificar por quais crimes os guardas irão responder, inclusive pontuando que será individualizada a conduta de cada.

Segundo a investigação, o segundo bandido envolvido no roubo ainda está foragido. A hipótese é de que ele seja morador da Zona Leste de São Paulo.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias