Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 19 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID LAR

Aterro atenderá indústrias com capacidade para 500 toneladas/dia

17 ABR 2016 - 08h00

Com capacidade ampliada para receber 500 toneladas por dia de resíduos, o aterro sanitário da empresa Anaconda Ambiental e Empreendimentos Ltda., de Santa Isabel, focará o atendimento nas indústrias do Alto Tietê. A informação foi divulgada por um dos proprietários da unidade, Edélcio Lungarezi.

Segundo ele, o aterro continuará a atender o município, além de ter ampliado o espaço para receber resíduos industriais. "No passado, tivemos a oferta de ampliar os serviços para outras cidades da região. No entanto, nosso foco está em atender as indústrias. Já apresentamos o projeto a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), que nos emitiu a Licença de Operação (L.O), agora iniciamos as fases de engenharia", explica.

A partir deste processo serão gerados novos laudos que serão acompanhados pela Cetesb, após os seis meses de teste, conforme divulgado anteriormente pelo DS, a Companhia Ambiental deverá permitir a permanência do aterro ampliado ou solicitar novas adequações para o funcionamento.

Lungarezi adianta que o local poderá receber materiais das classes 2 A e 2 B, isto é resíduos industriais. Depois de serem levados ao aterro, os objetos descartados sofrem a compactação, em seguida são drenados e logo após cobertos. O processo deve seguir uma operação adequada para não agredir o meio ambiente.

De acordo com a Cetesb, o aterro terá um mês para apresentar o projeto executivo completo. Caberá à companhia a fiscalização da operação e verificação de atendimento à legislação ambiental. Entre as exigências técnicas da Cetesb para a empresa está a apresentação de um Plano de Continuidade do Plano de Comunicação Social, Plano de Melhorias no Bairro, Plano de Implantação de Coleta Seletiva, com participação de famílias locais, cronograma e abertura do local para visitação da comunidade.

Todas as medidas devem ser apresentadas no prazo de seis meses determinado. Além disso, a licença prevê que todo dia 31 de janeiro a empresa deverá encaminhar relatórios anuais das atividades relacionadas. A empresa deverá realizar também o monitoramento das águas subterrâneas nos oito poços existentes ao redor do empreendimento, além das águas superficiais do Rio Parateí, por meio de coletas de amostras de águas, para administrar a não contaminação dos locais.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias