Envie seu vídeo(11) 4745-6900
domingo 26 de setembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/09/2021
ManArc
PMMC REDESCUBRA MOGI - TODA QUINTA
GrupoIndy
PMMC REDESCUBRA MOGI
CREA-SP
Educação

Aulas da rede estadual retornam presencialmente para 145 mil alunos no Alto Tietê

Coordenadora do Centro de Mídias SP acompanhou a volta na Escola Estadual Comandante Jacques Yves Cousteau

Por da Região02 AGO 2021 - 16h50
Aulas da rede estadual retornam presencialmente para 145 mil alunos no Alto TietêFoto: Arquivo/DS

As aulas do 2º semestre retornaram nesta segunda-feira (2) para 145 mil estudantes da rede estadual do Alto Tietê. Em todo estado,  são 3,5 milhões de alunos na rede. Destes, 97%, que estudam em municípios onde há autorização podem comparecer presencialmente nas escolas estaduais.  Nesta manhã, a coordenadora do Centro de Mídias de SP, Bruna Waitman, acompanhou a volta na Escola Estadual Comandante Jacques Yves Cousteau, em Suzano.

“O retorno dos alunos é fundamental, tanto para a aprendizagem de língua portuguesa e matemática dos alunos quanto para competência socioemocial: a responsabilidade, foco e saber lidar com imprevistos, são questões importantes dentro do desenvolvimento estudantil presencial.  Esse vínculo entre os professores e colegas de classe é fundamental para o desenvolvimento dessas competências socioemocionais do aluno”, declarou Bruna Waitaman

A nova fase é marcada pela ampliação da capacidade de atendimento das escolas, tendo como base as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Assim, as unidades passarão a atender os estudantes de forma presencial de acordo com sua capacidade física, e não mais apenas seguindo a porcentagem de ocupação indicada no Plano SP, respeitando o distanciamento mínimo de 1 metro entre as pessoas.

Apesar dos esforços e diálogo da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), 68 municípios ainda têm decretos que impedem o retorno presencial até o dia 6 de agosto. Por isso, cerca de 91 mil estudantes em 194 escolas (4% da rede) ainda não poderão retornar às aulas presenciais. Estes alunos seguem acompanhando as aulas pelo Centro de Mídias de SP. O ano letivo se encerra em 23 de dezembro para toda a rede.

Para garantir a segurança e ampliação do retorno às aulas presenciais, bem como a viabilização do ensino mediado por tecnologia no contexto da pandemia, a Seduc-SP realizou uma série de investimentos, como o Conecta Educação, Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE-SP) e também em itens de segurança e higiene.

“A Diretoria de Suzano já recebeu cerca de 180 mil máscaras e 5 mil frascos de álcool em gel para serem distribuídos nas escolas, estamos trabalhando a questão do distanciamento de 1 metro. Então, é um retorno seguro, seguindo todos protocolos para que as famílias possam se sentir seguras em mandar suas crianças para as escolas”, afirmou a dirigente regional de ensino, Mara Silvia Bioto.

No Conecta Educação foram R$ 1,5 bilhão investido para renovar o parque tecnológico das escolas com desktops, notebooks, tablets, chips de internet, TVs, plataformas de carregamento móvel e outros itens. Já o PDDE-SP é um programa guarda-chuva, que, a partir de eixos, permite às escolas realizar compras e investimentos específicos de maneira rápida e adequada às suas realidades. Mais de 1,5 bilhão já foi enviado às escolas estaduais até o momento.

Ainda foram adquiridos pela Seduc-SP EPIs e itens de higiene pela que podem ser complementados pelas escolas com recursos do PDDE-SP. No total, foram:

•         108 mil litros de sabonete líquido

•         182 milhões folhas de papel

•         228,3 mil litros de álcool em gel

•         6 milhões de rolos de papel higiênico

•         12 milhões de máscaras de tecido

•         23,7 milhões de copos descartáveis

•         Outros quantitativos dos itens e face shields foram adquiridos em 2020

O uso de máscaras continua obrigatório dentro das escolas e também durante o percurso de ida e volta. Ao adentrarem nas unidades, todas as pessoas terão a temperatura aferida e, caso esteja acima de 37,5 graus, será orientado o retorno para casa. Os protocolos também incluem higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70% e dos ambientes e ambientes arejados com portas e janelas abertas.

“Os alunos estão mais empolgados e menos vulneráveis em relação ao Covid, no entanto eles estão atentos ao uso de máscara, usando álcool em gel e mantendo o distanciamento. E nossa perspectiva é que venha a aumentar o número de alunos até chegar ao percentual de 100%. Além do mais, estamos localizados numa região vulnerável, muitos estudantes veem a escola para assistir as aulas, mas além disso eles recebem o acolhimento humano e afetivo que é o que eles muitas vezes necessitam”, avaliou o diretor da unidade Leandro Mello.

Todos os estudantes que não possuam atestado de comorbidade serão orientados a frequentar presencialmente a escola. Caso o estudante/família opte em permanecer apenas com as aulas remotas pelo Centro de Mídias SP e outras atividades propostas pelas escolas, o responsável legal deverá comunicar por escrito a unidade e se comprometer a manter a frequência digital do aluno.

“No meu ponto de vista, agora com as aulas voltando, a escola está melhorando na sua estrutura. Essa mudança é importante por que gera transformação nos alunos, ajuda a ocupar a mente, além da volta do emprego aos funcionários da escola“, disse o estudante Vitor Hugo do Nascimento. “Assistir as aulas de forma presencial é melhor para aprender por que temos maior intimidade com os professores. E pelo Centro Mídias é como um complemento, o que ficou pendente na aula presencial vamos conseguir revisar no online e isso vai fazer diferença lá na frente”, complementou.

Todos os servidores da rede estadual voltarão às atividades presenciais, sem revezamento. Os que pertencem aos grupos de risco só irão retornar 14 dias após a aplicação da segunda dose ou da dose única da vacina contra a Covid-19. Os servidores e colaboradores que, por escolha pessoal, optarem por não se vacinar dentro do calendário local também deverão retornar.

Casos suspeitos e confirmados de Covid-19 de funcionários ou alunos que compareceram presencialmente deverão ser registrados no Sistema de Informação e Monitoramento da Educação (SIMED).

Os contactantes, ou seja, todas as pessoas dentro da escola que estiveram a menos de um metro do infectado por pelo menos 15 minutos, deverão ser identificados e também registrados no SIMED, devendo cumprir o isolamento conforme protocolo.

A investigação epidemiológica e determinação da interrupção temporária das atividades presenciais da turma, turno ou total da respectiva unidade escolar cabe à Vigilância em Saúde local.

Vacinação

Parte importante, porém não condicional do movimento para o retorno seguro das aulas presenciais, a vacinação dos profissionais da Educação Básica já imunizou com a primeira dose ou dose única quase 910 mil trabalhadores das redes estadual, federal, municipais e particular do estado de São Paulo. Sendo que, destes, quase 340 mil já estão com o esquema vacinal completo (duas doses ou dose única).

Ainda no dia 18 de agosto, adolescentes com comorbidades, gestante e puérperas, de 12 a 17 anos, poderão se vacinar em todo o Estado de São Paulo. Para o público geral desta faixa etária, a imunização começa a partir do dia 30 e segue até 12 de setembro.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias