Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 21 de Janeiro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/01/2018
MRV WEB

Câmara de Ferraz aprova em 1º turno redução de secretarias de 17 para 14

Com a reforma, apenas, com os subsídios de secretários estima-se uma economia anual de R$670 mil

Por de Ferraz12 JAN 2018 - 15h17
Casa de Leis de Ferraz de Vasconcelos aprovou, em primeiro turno, a redução do número de secretarias de 17 para 14Foto: Pedro Ferreira/Divulgação

A Casa de Leis de Ferraz de Vasconcelos aprovou, em primeiro turno, a redução do número de secretarias de 17 para 14. Além destes projetos, o Legislativo votou três textos, que apenas adequam o quadro a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), a Lei Orçamentária Anual (LOA) ambas deste ano e ao Plano Plurianual (PPA), de 2018 a 2021. Os projetos serão apreciados em segunda e última discussão na próxima terça-feira (23), às 10h.

Na prática, o projeto de lei complementar alterando a Lei nº 314/2016 apresenta como aspectos preponderantes à recriação da Secretaria da Segurança extinta, em 2016, hoje, com ações subordinadas a de Governo, o fim da pasta da Comunicação Social, a fusão de Secretarias e mudanças nas nomenclaturas como, por exemplo, na Promoção e Desenvolvimento Social que passará a chamar-se de Assistência Social. Além disso, a Secretaria Municipal da Cultura ficará sozinha, já que o termo Turismo será atrelado a da Juventude, Esporte, Lazer e Qualidade de Vida.

No caso da união de pastas, a de Obras vai abranger também os setores de Planejamento Urbano, Saneamento, Verde, Meio Ambiente e da Habitação. Por sua vez, as Secretarias Municipais de Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia e a da Agricultura serão transformadas em departamentos da futura pasta do Desenvolvimento Econômico e Agropecuária. Por outro lado, logo no início de 2017, o prefeito, José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta editou um decreto fazendo a recriação da Secretaria da Segurança e fusão de outras, porém, o ato foi anulado por ferir a competência do Poder Legislativo.

Na sequência, o governo mandou para análise de vereadores o projeto de lei complementar alterando a Lei nº314/2016, mas, em outubro, a administração da cidade pediu de volta para fazer pequenas adequações, que, finalmente, serão votadas agora. Na realidade, o Poder Executivo corre contra o tempo para abrir o chamado ano fiscal tendo em vista, sobretudo, porque na LDO, na LOA e no PPA já constam a recriação da Secretaria Municipal da Segurança e a fusão de pastas, todavia, as mudanças não foram feitas na estrutura administrativa. Com a reforma, apenas, com os subsídios de secretários estima-se uma economia anual de R$670 mil. Já os servidores de pasta extinta e de fundidas serão somente realocados, ou seja, não haverá exonerações.

                                            

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias