Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 22 de setembro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/09/2018
PMMC SETEMBRO - ENTRE
MRV AGOSTO - SÁLVIA
PMMC - SETEMBRO FOOD TRUCK SOLIDÁRIO

Campanha "Julho Amarelo" alerta para prevenção e riscos das hepatites virais

Data visa conscientizar sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento das hepatites virais

Por de Poá12 JUL 2018 - 18h22
No município será feita a testagem rápida das hepatites virais B e C nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), nas Estratégias de Saúde da Família (ESFs) e no Serviço de Atendimento Especializado (SAE)Foto: Flavio Aquino/Secom Poá
Poá realizará de 16 a 31 de julho, a Campanha "Julho Amarelo", que tem como objetivo combater as hepatites virais que hoje são um dos principais problemas de saúde pública do País. No município será feita a testagem rápida das hepatites virais B e C nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), nas Estratégias de Saúde da Família (ESFs) e no Serviço de Atendimento Especializado (SAE). 
 
“Todas as pessoas com resultado de teste positivo serão encaminhadas ao SAE para seguimento na investigação e posterior tratamento quando necessário”, explicou o vice-prefeito e secretário de Saúde, Marcos Ribeiro da Costa, o Marquinhos Indaiá.
 
A diretora da Vigilância em Saúde de Poá, Fabiana Ferri, acrescentou que o Ministério da Saúde estabeleceu como  meta a eliminação das hepatites virais até 2030. “As hepatites virais são doenças provocadas por diferentes vírus que apresentam características distintas (A, B, C, D e E). Possuem distribuição universal e existem diferenças territoriais na ocorrência e magnitude destas de acordo com o agente etiológico e o tipo de exposição das pessoas aos vírus. O 'Julho Amarelo' visa conscientizar sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento das hepatites virais”, explicou.
 
A enfermeira e coordenadora do Programa de Hepatites Virais de Poá, Renata Yeda Araújo, disse que as hepatites A e B podem ser prevenidas por vacinação. Existe cura para hepatite C e tratamento para hepatite B. Até o momento, não há vacina para a hepatite C. “Por isso a intervenção chave para a eliminação da hepatite C é a testagem e ampliação do diagnóstico, com objetivo de identificar as pessoas que são portadoras do vírus e encaminhá-las para tratamento. São consideradas populações de risco acrescido: indivíduos que receberam transfusão de sangue e/ou hemoderivados antes de 1993; pessoas que compartilham material para uso de drogas injetáveis, inaláveis, tatuagem, piercing ou que apresentem outras formas de exposição percutânea; assim como quem tem mais que 40 anos e realizou cirurgia quando jovem”, acrescentou.
 
Estima-se que 1,5 milhão de brasileiros têm essa doença e não sabem. O teste é um exame simples e com resultado rápido. “A grande preocupação está na hepatite C, causada por um vírus que passa anos sem dar sinal. A complicação é que seu primeiro sintoma pode vir de uma cirrose ou de um câncer no fígado. Mas dá pra evitar essas situações extremas com uma simples picada no dedo. Caso a doença seja detectada, o tratamento também é gratuito e hoje com mais de 90% de chances de cura”, completou a enfermeira Renata.
 
O Serviço de Atendimento Especializado fica na Rua Deocasta Aguilera, 215, Jardim Medina. Mais informações sobre a Campanha "Julho Amarelo" podem ser obtidas nos telefones (11) 4636-3875 e (11) 4639-7204.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias