Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE

Cetesb inspeciona 965 indústrias e 182 são multadas por emissão de fumaça

21 AGO 2016 - 08h00

Entre janeiro e junho deste ano, 965 indústrias do Alto Tietê foram inspecionadas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). No período, 182 foram autuadas por emissão de fumaça preta. Em comparação ao ano passado, as autuações tiveram queda de 27%, isso porque no primeiro semestre de 2015 foram penalizadas 251 empresas. No mesmo período foram vistoriadas 1.025 indústrias da região.

Segundo a Cetesb, neste ano foram emitidas 125 advertências, três autos de embargo e 52 multas. O valor das penalidades pode variar de 10 a 10 mil vezes o valor da Unidade Fiscal do Estado de São Paulo (Ufesp), de acordo com o decreto estadual 8468/76.

"A fiscalização é feita rotineiramente e também mediante denúncias. Para verificar os índices, é feita uma vistoria e também o uso da escala de Ringelmann - método para medir a densidade aparente de fumaça", explica.

Neste ano, a Cetesb também recebeu 368 solicitações, entre elas alteração de documentação, certificado de dispensa de licença, parecer técnico, licença prévia de instalação, operação simplificada e prévia, licença de operação de loteamento. Já as concessões feitas pela concessionária no setor, estão relacionadas a certificado de aprovação, dispensa de licença, licença de instalação, operação prévia, parecer técnico, entre outras. Somente certificados de aprovação para destinação de resíduos industriais, a companhia emitiu 95 concessões. Licenças de operação de renovação foram 56 e pareceres técnicos 31.

INSPEÇÃO

O monitoramento da qualidade do ar, com a avaliação das concentrações de poluentes no Estado, foi iniciado na Região Metropolitana, em 1972, com a instalação de 14 estações para medição diária dos níveis de dióxido de enxofre (SO2) e fumaça preta. Em 1981, foi dado um salto qualitativo, com o início do monitoramento automático e a instalação de novas estações, para a avaliação de SO2, material particulado inalável (MP10), ozônio (O3), óxidos de nitrogênio - (NO, NO2 e Nox), monóxido de carbono - (CO) e hidrocarbonetos não metânicos - (NMHC), além dos parâmetros meteorológicos como direção e velocidade do vento, temperatura e umidade relativa do ar.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias