Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 20 de junho de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/06/2019
PMMC AGASALHO
PMMC UPA JUNDIAPEBA
PMMC JUNHO VERDE
Novidade

Cidades do Alto Tietê são incluídas no Programa Saúde na Hora

Suzano, Ferraz, Itaquá e Arujá estão na relação do Ministério da Saúde para funcionamento dos Postos até 22 horas

Por da Região17 MAI 2019 - 23h52
Inclusão das cidades foi apresentada ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pelo deputado federal, Marco BertaiollFoto: Assessoria PSD/Divulgação
As cidades de Suzano, Ferraz de Vasconcelos, Itaquá e Arujá estão na lista do programa Saúde na Hora e autorizadas a firmar convênio com o Governo Federal para que as unidades de PSF funcionem até 22 horas. A inclusão das cidades onde há uma demanda maior foi apresentada ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pelo deputado federal, Marco Bertaiolli, durante audiência realizada em Brasília na terça-feira da semana passada. A Prefeitura de Suzano aderiu ao programa.
 
“A proposta é que as Prefeituras indiquem quais os bairros com maior demanda para o horário estendido e, em contrapartida, o Governo Federal arca com os custos da equipe extra”, destaca o deputado federal. Membro titular da Comissão de Saúde da Câmara Federal, Bertaiolli que continuará apresentando a demanda de todas as cidades do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte onde possui um trabalho mais direcionado. “Saúde não é obra acabada. Todos os dias, são necessários novos investimentos, porque a demanda cresce e as necessidades mudam periodicamente”, afirma Bertaiolli, que tem a saúde como uma das principais bandeiras do mandato.
 
A publicação da portaria criando o Programa Saúde na Hora ocorreu no último dia 8. “Na terça-feira, estive numa audiência com o ministro e pudemos detalhar os temos desta portaria e o funcionamento do programa nas cidades”. Agora, segundo Bertaiolli, será feita uma publicação com informações sobre valores a serem repassados pelo Governo Federal à Prefeituras e a estrutura necessária para que a Unidade de Saúde faça parte do programa.
 
Entre elas estão, manter a composição mínima das equipes de Saúde da Família – com médico, enfermeiro, dentista e auxiliar de enfermagem – sem reduzir o número de equipes que já atuam no município. A UBS também deve funcionar sem intervalo de almoço, de segunda a sexta, podendo complementar as horas aos sábados ou domingos. “Hoje quando a mãe ou o pai chega em casa e encontram o filho com dor, cólica ou febre, a única alternativa são as unidades de urgência e emergência que não estão vocacionadas para isso”, destaca o deputado Marco Bertaiolli, que na semana passada esteve com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.
 
“A portaria criando o programa e os seus objetivos já foi publicada e agora o Ministério detalha todo o programa para que as Prefeitura já comecem a se estruturar e firmar o convênio”, explica o parlamentar. Ainda segundo Bertaiolli, que vem acompanhando esse programa junto ao Ministério da Saúde, um total de 2.289 Unidades de Saúde em 400 municípios está apta a participar do programa. “Uma série de serviços estará à disposição da população”.
 
Entre estes serviços, está o acolhimento com classificação de risco, entrega de medicamentos, consultas médicas e de enfermagem em três turnos, consultas de Pré-Natal, coleta de exames laboratoriais e pequenos procedimentos como medicamentos injetáveis e curativos. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias