Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 09 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 07/12/2019
CENTRO ONCOLÓGICO

Com 10 votos contra, Câmara de Poá rejeita reduzir número de vereadores de 17 para 11

Caso fosse aprovada, a medida valeria para próxima eleição; presidente da Casa de Leis diz que retomará com projeto em 2020

Por Fernando Barreto - de Poá19 NOV 2019 - 22h54
Projeto para reduzir número de vereadores foi rejeitadaFoto: Regiane Bento/Divulgação

Com 10 votos contra e sete a favor, a Câmara de Poá rejeitou, nesta terça-feira, 19, a proposta de reduzir o número de vereadores de 17 para 11. Era necessário 12 votos a favor. Caso fosse aprovada, a medida valeria para próxima eleição.

A rejeição ao projeto foi contra a expectativa do presidente da Casa de Leis poaense, David de Araújo Campos (PL), o Tio Deivão. “O projeto não passou por interesses políticos em se promover. Os vereadores estão preocupados com a eleição e não com o município”, disse. Apesar de ver o projeto ser negado pela Casa, o parlamentar afirmou que deve retomar ao projeto em 2020.

Bastidores

A polêmica sessão foi marcada por debates entre os parlamentares. As cadeiras destinadas ao público estavam lotadas. Apesar disto, a população presente não demonstrou apoio à aprovação do projeto.

O vereador Saulo Teixeira Alberto da Costa (PSL), o Saulo Dentista, foi um dos parlamentares mais críticos à proposta.

Para Saulo, o prefeito Gian Lopes (PL) foi oportunista e, segundo ele, fez politicagem. “Sou favorável à redução, mas precisa ser algo discutido. A administração pública precisa fazer uma redução verdadeira. Diminuindo em 40% o salário dos vereadores e, também, do executivo”, explanou o vereador do PSL.

O vereador Luiz Eduardo Oliveira Alves (Podemos), o Edinho do Kemel também foi crítico ao fato de Gian Lopes ter articulado para redução do número de cadeiras do Legislativo. Para ele, “o prefeito não devia se intrometer em assuntos que competem ao Legislativo”.

Na tribuna, Tio Deivão argumentou que o mérito de colocar o projeto em votação parte dos parlamentares da base. “Nós (da base) que colocamos para votar. Se a oposição não teve articulação para colocar em pauta, não temos o que fazer”, contou.

O parlamentar ainda complementou dizendo que projeto de reduzir o salário do Executivo não foi aprovado pela Comissão de Finanças da Câmara, e, por isso, não foi à votação.

Votam contra a proposta: Azuir Marcolino; Deneval Dias; Edinho do Kemel; Lázaro Borges; Marcílio Duarth; Marinho do Jornal; Neno Ferrari; Saulo Dentista; Toinho Santa Cruz; Toninho Biblioteca.

Votaram a favor: Fabio Suru; Garcez Proerd; Junior da Locadora; Zé Carlos Maça do Amor; Saulo Souza; Tio Deivão; e Welson Lopes

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias