Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 24 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/10/2020
PMMC COVID VERDE
PMMC OUT ROSA
Pmmc Sarampo Outubro
PMMC MULTI 2020
SOUZA ARAUJO

Defesas dos vereadores presos em Mogi emitem nota sobre operação

Diegão foi o primeiro a se manifestar, já no dia da prisão, em redes sociais; outros se manifestaram posteriormente

Por de Mogi21 SET 2020 - 23h00
Vereadores estão presos, mas vagas não foram ocupadasFoto: Divulgação
Os cinco vereadores presos, e um ainda foragido, da Câmara de Mogi responderam sobre a operação realizada pelo Ministério Público. 
 
A operação Legis Easy (legislação fácil, em português) foi deflagrada no dia 4 de setembro.
 
O vereador Diego de Amorim Martins, o Diegão (MDB) disse, no dia da prisão, por meio de rede social, que não sabia sobre a prisão preventiva e que é inocente.
 
"Não estou preso. Estou apenas depondo no Ministério Público e estou fornecendo todos os esclarecimentos necessários, pois a minha vida é pautada pela total transparência, inclusive deixo à disposição todas as minhas contas, Imposto de Renda e tudo que me for pedido pela Justiça. Infelizmente, estou sendo perseguido politicamente, provavelmente devido ao trabalho que venho desenvolvendo na cidade de Mogi das Cruzes. Esse fato só vai servir para que eu prossiga cada vez mais forte", esclareceu na época.
 
Já a defesa de Jean Lopes (PL), alega que a prisão “é absurda” e nada, no inquérito do MP, vincula o vereador à “atos ilícitos ou imorais”.
 
“Nossa equipe jurídica já está trabalhando nas medidas legais cabíveis para o esclarecimento do caso e a liberdade do vereador Jean Lopes, compreendemos que a prisão foi equivocada e ilegal. A marca de seu mandato sempre foi a da probidade, transparência e honestidade, lutando pelos direitos dos cidadãos de nossa querida Mogi das Cruzes. Seguiremos nessa luta!”, afirmou a defesa do vereador Jean Lopes.
 
Conforme reportagem da TV Diário na última sexta-feira (18), a defesa de Antônio Lino (PSD) diz que o político não está foragido. Os advogados já tentaram habeas corpus, mas até o momento foi negado.
 
"O decreto prisional é ilegal, injusto, e ele vai se apresentar em um momento oportuno. O momento oportuno é, principalmente, assim que surgir uma decisão do STJ que lhe favoreça, ele vai se apresentar para dar os esclarecimentos à sociedade. Será um momento adequado. Esperamos que seja em torno de terça ou quarta-feira", explica o advogado de Lino.
 
Ainda segundo a TV Diário, a defesa de Mauro Araújo (MDB) disse que o político está seguro de que será comprovada a inocência.
 
“Aguardamos informações para os próximos passos, mas estamos tranquilos e confiantes de que a verdade em breve será estabelecida. Confiamos nas instituições, principalmente no poder judiciário”, completa a nota.
 
Por fim, a defesa de Chico Bezerra disse, à reportagem da TV Diário, que “todos os fatos a eles imputados encontram-se desvinculados daquilo que foi originariamente investigado. O desenrolar do procedimento servirá para comprovar a inocência”.
 
A defesa de Carlos Evaristo não se pronunciou até o momento.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias