Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
quinta 29 de julho de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/07/2021
GrupoIndy
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Cruzeiro do Sul

Em 6 meses, região registra 72% do total de afogamentos de 2015 inteiro

16 AGO 2016 - 08h00

Durante o primeiro semestre do ano, mortes por afogamentos no Alto Tietê registram 72% do total registrado no ano de 2015. Este ano a região já teve 18 acidentes deste tipo. Em 2015, foram 25 durante os 12 meses. A informação foi divulgada pelo 17º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes (GB), que atende Suzano, Poá, Ferraz, Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes. Em Suzano, a Lagoa Azul é citada como um dos locais mais comuns de afogamento.

De acordo com o levantamento do grupamento, neste ano foram 12 afogamentos em curso, ou seja, ocorrências em que o grupamento recebeu o chamado por afogamento, mas não conseguiu ressuscitar a vítima, e seis por encontro de cadáver. Nestes casos não há identificação do motivo e momento do acidente, ficando nas mãos da polícia.

As cidades que mais registraram ocorrências neste ano foram Mogi das Cruzes, com cinco afogamentos; Itaquaquecetuba, com quatro acidentes, e Suzano, com três ocorrências.

Em Mogi, os locais mais comuns de mortes por afogamento são as Represas de Taiaçupeba e Jundiapeba-Estrada das Varinhas, e o Rio Tietê e Lagoas. No município, três ocorrências em curso e dois encontros de cadáver foram registrados no semestre.

Em Suzano, três ocorrências foram registradas no município, todas com tentativa de resgate dos bombeiros. Duas das vítimas morreram afogadas na Lagoa Azul, como o DS noticiou. O jovem Pedro Antônio Vorus, de 19 anos, se afogou no dia 10 de fevereiro, e Luis Paulo Macedo da Silva, de 21 anos, no dia 13, ambos enquanto nadavam com os amigos na lagoa. Além da Lagoa Azul, os bombeiros apontam a Lagoa do Parque Maria Helena, a Lagoa Vila Vilela, o Lago do Raposão e a Represa de Taiaçupeba próximo a Sabesp, também locais de frequentes afogamentos.

De acordo com o primeiro tente do posto dos bombeiros de Suzano, Lucas Mieteli, o período das férias escolares ocasiona no aumento das ocorrências de afogamento.

Porém, no recesso das aulas, no meio do ano, os acidentes são poucos, devido ao inverno. "As férias começaram e não tivemos nenhum chamado para afogamentos, graças a Deus", comentou.

O tenente diz que o principal meio de precaução para evitar os afogamentos está na orientação. "A orientação é de que a criança ou adolescente não utilize áreas irregulares que não são próprias para banhos recreativos. Represas e lagos que são pontos incidentes. Não são locais seguros e destinados a isso", explicou Mieteli.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias