Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 09 de agosto de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 08/08/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Mutirão da Catarata
PMMC ECOTIETÊ
PMMC  VACINAÇÃO - SARAMPO

Em seis meses, assassinatos sobem 34% com 64 mortes na região

Dados estão disponíveis no portal da Secretaria de Segurança Publica

Por Marcus Pontes - da Região28 JUL 2020 - 14h51
Região teve um acréscimo de casos de homicídio, em comparação aos dados de 2019Foto: Arquivo/DS

Sessenta e três casos de homicídio doloso - quando há intenção de matar - foram registrados de janeiro a junho deste ano no Alto Tietê. O número é 34% maior a igual período do ano passado, quando a região computou 47 casos. Os dados estão disponíveis no portal da Secretaria de Segurança Publica (SSP). 

O balanço mais recente divulgado pela pasta mostrou que 64 pessoas foram assassinadas na região. O número de mortos é diferente ao de casos, uma vez que em uma única ocorrência pode ter tido duas vítimas incluídas. 

Itaquaquecetuba é a cidade do Alto Tietê com o maior número de registros de homicídio doloso, com 19. Os meses mais violentos foram fevereiro e março, com quatro. Seguido de janeiro, abril e junho, totalizando três registros. Em maio, foram dois. Foram 19 pessoas assassinadas. Em 2019, o município teve nove casos computados de janeiro a junho.

Em Mogi das Cruzes, foram 15 casos computados no primeiro semestre deste ano. O total de vítimas, porém, foi superior: 16. O pico de registros de homicídios dolosos foi nos meses de fevereiro e junho, com quatro. Se for comparar a igual período do ano passado, a cidade teve cinco registros a mais: em 2019, foram 10. 

Itaquá e Mogi foram as únicas cidades a terem mais de 10 registros. Os demais municípios ficaram abaixo. É o caso de Suzano, que computou nove ocorrências de janeiro a junho deste ano, totalizando nove pessoas assassinadas. Em 2019, o município suzanense registrou 11 ocorrências, com um total de 20 mortos, em função da tragédia ocorrida em março na Escola Estadual Raul Brasil. 

Ferraz de Vasconcelos aparece em seguida, com oito ocorrências computadas. Seguido de Arujá, com quatro, Santa Isabel, com três; Salesópolis e Guararema tiveram dois casos cada. Biritiba Mirim e Poá computaram um caso. 

 

 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias