Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 26 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/09/2020
Pmmc Sarampo
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE

Homicídios caem 40,48% no ano até abril contra mesmo período de 2015

26 MAI 2016 - 08h00

O número de homicídios no Alto Tietê sofreu queda de 40,48% no primeiro quadrimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. De janeiro a abril de 2015, foram registrados 84 homicídios nos dez municípios da região. Já de janeiro a abril deste ano, houve 50 registros. O cálculo leva em consideração os homicídios culposos, em que há a intenção de matar, e os latrocínios, quando ocorre roubo seguido de morte.

Os dados, disponibilizados ontem pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, mostram que a maioria das cidades da região teve queda neste índice criminal.

QUEDA

Mogi das Cruzes foi o município do Alto Tietê que registrou maior queda. No ano passado chegou a registrar 34 homicídios entre janeiro e abril, enquanto que no mesmo período neste ano foram 10, ou 24 assassinatos a menos.

Em segunda colocação vem Itaquaquecetuba. A cidade conseguiu baixar a taxa deste tipo de homicídio de 21, em 2015, para 11 neste ano.

Em seguida aparece Arujá, que teve queda de quatro homicídios. No primeiro quadrimestre de 2015 houve 10 casos deste crime registrados na cidade. Neste ano, foram contabilizados seis.

Biritiba Mirim e Suzano tiveram queda de dois registros neste ano em comparação ao anterior. Enquanto o município suzanense passou de 10 casos, em 2015, para oito neste ano, Biritiba teve dois no ano passado, e neste ano até abril não registrou assassinatos.

Guararema teve a menor variação, mas também não registrou homicídios no primeiro quadrimestre deste ano, enquanto que em 2015, em igual período, teve um caso.

SEM VARIAÇÃO

Duas das dez cidades da região igualaram o índice na comparação dos mesmos meses de 2015 e de 2016. Salesópolis continuou sem registrar este tipo de homicídio e Santa Isabel registrou um caso no primeiro quadrimestre de cada ano.

AUMENTO

Contrariando a média, Ferraz de Vasconcelos teve seis casos a mais que em 2015. No ano passado, de janeiro a abril, houve quatro registros e neste ano, 10.

Poá também teve aumento no índice, passando de um registro em 2015 para quatro assassinatos neste ano.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias